terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

A batalha por Comic Cons no Brasil - um desabafo


Batalha por Comic Cons... esse é o Brasil

Podem me chamar do que quiserem, de traidor da nação à oportunista de manchetes, mas o certo é que o Brasil está sempre pronto para mostrar o que tem de pior e pelo visto a possibilidade de termos uma Comic Con no país será mais um desses casos.

Para minha surpresa me deparei hoje com uma notícia que poderia ser ótimo num dos tantos site e blogs que acompanho – o Judão. Com o título de “A Batalha das ComicCons no Brasil”. Pelo título eu comecei a ficar muito esperançoso com a possibilidade de termos mais eventos direcionados ao público geek e nerd tal como nos Estados Unidos que têm a sua SDCC e a NYCC, entre tantos outros.

Mas quando começo a ler a notícia já percebo de cara que o dedo brasileiro vai acabar ferrando com o evento. Nos casos da San Diego Comic Con e da New York Comic Con elas acontecem em locais bem distintos (estados diferentes e distantes) e em datas bem distantes. Isso possibilita que possam abranger um público muito maior e mais diversificado, além de garantir saúde econômica para os participantes e organizadores, e facilitar que quem desejar ir nas duas possa comprar sem problemas. Mas essa não é a intenção no Brasil, ora, não mesmo.

Sem querem defender A ou B, o que se vê é que o interesse é ganhar mais do que os outros de uma só vez, além de, se possível, ferrar com a concorrência. Isso já começa com o interesse descabido de eventos organizados por outras duas empresas (não vou citar nomes para não parecer partidário de uma ou de outra) quererem realizar suas edições em novembro, descaradamente um mês antes da Comic Con Experience. Ora, ninguém aqui é criança ou ignorante para entender que isso é jogada para esvaziar um evento e tirar o maior proveito. Pelo menos se fossem em estados distantes o impacto seria muito menor, mas realizar um mês antes e no mesmo estado é uma verdadeira prática de guerrilha.

Não imagino, nem sou ingênuo em pensar, que a prática capitalista seja doce e amigável, mas tenho certeza que ela está sendo extremamente burra por aqui, como sempre. Questões ideológicas à parte, a maior parte das iniciativas no Brasil morrem por essa visão degenerada de como lidar com o mercado, matando novas iniciativas e sugando o cliente ao máximo, sem proporcionar o equivalente esperado.

Inteligente seria uma conversa onde se estabelecessem ou rodízio de datas ou locais determinados e distantes ou sei lá o que, mas algo que fizesse com que os eventos fincassem raízes e se fortalecesse e não o contrário. Se é a oficial ligada à SDCC ou não não importa, temos que dar o primeiro passo e ficá-la aqui. Se é da empresa A, B ou C, não importa, temos que garantir que seja satisfatória para a comunidade geek e nerd em geral.

E nós, fãs e verdadeiros consumidores, ficamos em segundo plano, como sempre. Não entendo o quão burra são as equipes de marketing que não percebem o enorme filão de compradores em potencial que temos no Brasil. Será que não percebem o quanto é gasto com importações de mercadorias geek? O quanto podem ganhar ou promover aqui? Será que não vão tratar a nós, verdadeiros consumidores de tudo o que trarão para os eventos com o devido respeito?

Sou pessimista pois sei que eles pensarão apenas nos benefícios imediatos, como tudo o que é feito neste país de m#*d@, mesmo que isso resulte em que não tenhamos mais eventos iguais posteriormente.


Isso é um desabafo, mas é o que vemos por aí!

3 comentários:

Luiz disse...

Perfeito esse desabafo, concordo com tudo o que foi dito.

João Brasil disse...

Obrigadão.....

Atmo - Lucas Leonardo disse...

Consumidores não são seres vivos, só precisam de um produto que vai falhar em menos de um ano ou um de qualidade muito abaixo do que se tinha cinco décadas atrás para ficarem felizes ee se tornarem fãs fiéis de empresa X ou Y.