domingo, 27 de dezembro de 2015

Quer a toy da Rey? Nós também, mas onde estará?

Quer a toy da Rey?
Nós também, mas onde estará?


Os fãs de Star Wars estão indignados, assim como eu. Com o sucesso estrondoso do lançamento do novo filme da franquia Star Wars, o Despertar da Força, é óbvio que uma enorme corrida se iniciaria atrás de toys, miniaturas e tudo o mais que fosse lançado relacionando à produção cinematográfica. Mas para surpresa geral uma das protagonistas do filme, Rey, interpretado por Daisy Ridley, não está na grande gama de lançamentos de toys e brinquedos. Numa das principais linhas de brinquedos, lançada pela Hasbro, nem na Falcon Milleniun, que é majestosamente pilotada por Rey, há um boneco dela.

O caso foi notado em todo o mundo e gerou um movimento nas redes sociais associado ao hashtag #WheresRey. Já passou muito o tempo que tínhamos brinquedos divididos por gênero. Hoje em dia meninos e meninas escolhem seus personagens preferidos – sejam masculinos ou femininos – e se divertem com eles. Este não é o primeiro problema associado às produções da Disney. Já houveram reclamações quanto à falta de toys nas prateleiras de personagens femininos tais como Viúva Negra (do filme dos Vingadores) e Gamorra (do filme dos Guardiões da Galáxia).



Segundo o fabricante o caso se deve à uma grande procura pela toy da personagem que seria vendida separadamente. Até pode ser verdade, mas o que se percebe é que a personagem foi subestimada e provavelmente produzida em menor quantidade. De outro lado lojistas também devem ter adquirido em pouquíssima quantidade (ou mesmo não adquiriram) ou preferido o conjunto sem ela (já que existem dois tipos diferentes, contradizendo o fabricante) por considerarem que meninos não iriam querer comprá-la. Será que eles esquecem que as meninas são pelo menos metade do público alvo?


Pode parecer exagero ou um mero detalhe para alguns, mas é um elemento que reflete claramente mentalidades retrógradas e sexistas que ainda estão enraizadas. Movimentos espontâneos como esse podem ser um primeiro passo para que mudanças realmente aconteçam.

7 comentários:

Anônimo disse...

Este artigo é o feminismo branco em sua excelência. Rey não é a protagonista, é um dos.

João Brasil disse...

Caríssimo .... espero que tenha coragem e culhão para postar o nome da próxima vez.... Não tenho o costume de aceitar comentários de anônimos, mas abri uma exceção .... Sim, este artigo é feminista e não há mal algum em ser, muito menos eu quis esconder isso. Minhas posições são bem conhecidas e não as camuflo. Em segundo.... Se conheceres um pouco o português é só ler na quarta linha do primeiro parágrafo que escrevi que Rey é "uma das protagonistas"... Teu medo do feminismo é tão grande que acaba lendo o que quer, não é?! Passar bem!

Paulo Cunha disse...

Ela não é só "um dos" protagonistas...
Ela é (spoilers) A JEDI do lado da Luz nesse filme...
Portanto não dá para desmerecer ela desse jeito!

Paulo Cunha disse...

Nesse caso não é feminismo não...
Viúva Negra (vingadores) e Gamorra (guardiões da galáxia) podem ser consideradas uma das protagonistas...
Mas a Rey não é "somente um dos" protagonistas...
Ela é "somente" A JEDI do lado da Luz no filme...
Eu diria que é sim a personagem mais importante dentre os protagonistas...
Muito mais importante que aqueles dois Stormtropers, o com ombreira vermelha, que nem sei quem é, e o de armadura preta, que é APENAS um dos pilotos das Tie Fighter...

João Brasil disse...

Com certeza Paulo...ela é muito importante.... mas a coloquei como uma das protagonistas pois Finn também tem um papel importante.... mas de qualquer forma ela merece muito mais atenção por parte das empresas responsáveis pelas toys!!!

- All disse...

Que texto incrível amigo. Parabéns

- All disse...

Ótimo texto amigo. Mesmo.