segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Dicas do Mestre - Maldição ou Confusão: a arena do duelo quase fatal

Maldição ou Confusão
- a arena do duelo quase fatal -



Todos se lembram daquele fatídico dia. Um experimento mágico de um grupo de novatos da Torre da Magia da cidade, que deveria trazer à vida uma saborosa cerveja, saiu totalmente errado. Em um canto isolado em meio à uma pequena floresta no Bairro de Cima, cinco calouros cometeram algum engano até hoje pesquisado pelo mago Arqueus. A explosão foi ouvida por toda a ilha e além. As mortes foram instantâneas. Os cinco corpos foram encontrados no centro de uma clareira criada pela força mágica desencadeada por uma reação em cadeia após serem mal manuseados. Os funerais foram breves e os enterros rápidos.

Cinco dias depois das lápides terem sido seladas algo muito curioso aconteceu. Sem qualquer aviso cinco esqueletos surgiram em meio à cidade logo pela manhã, logicamente causando pânico. As cinco estranhas criaturas andavam por entre as tendas do mercado despreocupadamente e conversando como se nada mais fosse tão estranho quanto aquela cena.

Os guardas logo perseguiram os esqueletos os fazendo correr como loucos e aos berros, espalhando confusão por onde passassem. Era uma cena engraçada se não fosse tão bizarra. Após capturados, implorando por misericórdia, alguns clérigos e o próprio mago Arqueus foram convocados para darem seu parecer. Após um curto estudo foi descoberto que por alguma razão aqueles cinco esqueletos eram os restos, agora animados, dos cinco estudantes da Torre de Magia que haviam levantado dos mortos, mas não como zumbis. Era como se seus corpos tivessem sido descarnados, mas mantendo sua voz, consciência e lembranças.

Um dilema se instaurou – matá-los ou deixá-los vivos, se é que pode dizer isso. Após reuniões, conselhos e votações decidiu-se mantê-los como membros da cidade. O início do convívio foi complicado, mas depois de algum tempo a integração era completa. Eles viviam entre seus antigos familiares e retomaram sua antiga rotina. Mas a confusão não parou por aí.

O estranho efeito mereceu um estudo muito mais pormenorizado por parte de Arqueus. Depois de alguns meses de pesquisa ele descobriu algo singular. A explosão deixou vestígios muito mais interessantes do que a ressurreição dos cinco rapazes. Arques descobriu que o efeito permaneceu no terreno em um espaço circular de cerca de dez metros a partir do ponto da explosão. Assim, qualquer que perca a vida dentro desta área retorna à vida, sob a forma de um esqueleto, após cinco dias. Antes deste efeito desencadear-se a vítima pode ser revivida por meios mágicos ou clericais quaisquer, se possível, mas depois deter se tornado um esqueleto o efeito não pode ser revivido.

Tão logo o fato fora descoberto e a área foi proibida pelo perigo. Mas todos sabem que algo, para tornar-se popular, deve apenas ser proibido. O local tornou-se o ponto preferido para duelos de honra ou para a resolução de rixas pessoais. Por mais que as autoridades tentem manter todos longe dali, a agora conhecida Arena da Vida Eterna, é o lugar mais conhecido e visitado da cidade.

Em jogo

Este elemento é muito simples de ser introduzido tanto em um cenário quanto em uma aventura e pode ser alterado de muitas formas. O certo é que podemos fazer uso dele para dar uma apimentada em nossas mesas. Imagine uma aventura em que um dos membros do grupo morre sob efeito da área e seus colegas têm de correr contra o tempo para revivê-lo antes que o efeito o torne um esqueleto animado. Ou então uma aventura em que um ou mais companheiros de aventura tornaram-se esqueleto e agora estão à procura – com toda a confusão que isso possa causar – de uma solução que reverta o efeito. Com relação à sistema de regras isso é o que menos importa. Este elemento se encaixa bem em qualquer cenário ou sistema, ficando à cargo do mestre a criação do ambiente.


Um comentário:

Valdo Francisco disse...

Sim de fato, essa matéria dá pra uma boa historia ou campanha, muito interessante, parabéns...