quinta-feira, 28 de março de 2019

Encontros Icônicos - Pathfinder 2.0 - Conto de Kyra



Encontros Icônicos
Pathfinder 2.0 – Conto de Kyra

Estamos em nosso quatro encontro icônico da paizo para Pathfinder 2.0. Já tivemos o mago Ezren, a bárbara Amiri e o ranger anão Harsk e agora chegou o momento da clériga Kyra. Delicie-se e conte os dias.

o  O  o

Para o Último Suspiro

As portas do refúgio estremeceram quando a monstruosidade bateu contra ela mais uma vez. A madeira que protegia os habitantes da cidade fielmente por gerações estavam rachadas e divididas, as robustas madeiras não eram páreo para a força de um troll adulto.

Kyra se moveu pela caverna, cuidando dos feridos à luz dos antigos vaga-lumes. Ela há muito tempo usara a última de suas magias, e agora tinha pouco mais a oferecer do que uma palavra e uma mão gentil. Ainda assim ela andou entre eles, a cabeça erguida - um símbolo da salvação de Sarenrae.

"Por que você não luta contra isso?"

A criança era pequena e estava descalça, com a ousadia inflexível dos muito jovens. Kyra se agitou com a pergunta, mas se ajoelhou para olhá-lo nos olhos, com o cuidado de manter a voz calma. "Não temos fogo. Sem isso, minha espada é inútil. E eu não tenho mais mágicas."

A criança franziu a testa. "Mas Sarenrae tem fogo e magia. Não deveríamos orar?"

"Não somos nós?" Kyra sorriu, estendendo a mão para segurar a bochecha da criança. "Às vezes a melhor oração é ajudar os outros."

A criança abriu a boca, mas qualquer outra pergunta foi interrompida por uma última e fatal fissura das portas quando a viga cruzada cedeu. Kyra se virou e puxou a cimitarra, afastando os habitantes da cidade que estavam freneticamente pressionando as costas contra a madeira arruinada.

As portas se abriram, batendo na rocha inacabada das paredes da fortaleza. O brilho suave dos vermes da caverna espalhou luz suave e melodiosa sobre os ombros volumosos e garras do tamanho de uma pá do troll assassino.

Kyra se adiantou. Apesar de suas feridas, apesar do peso de seu braço com a espada, seu coração parecia mais leve do que desde o começo do pesadelo. Ela estava sem truques, sem qualquer esperança real de derrotar a fera - mas aqui estava ela, colocando-se entre o predador e o inocente. Bem onde ela deveria estar.

Como ela disse à criança, às vezes uma era oração o suficiente.

"Mais uma vez, sacerdote?" - Lábios molhados bateram em torno de presas salientes quando o troll riu. Ele espalhou seus braços enormes, mostrando linhas finas de tecido de cicatrizes que tinham sido feridas abertas uma hora atrás. "Assim seja. Estou pronto. Mas você está?"

Kyra não disse nada, apenas inclinou sua lâmina e deslizou seu pé traseiro de volta para a Sunrise Wakes the Mountain.

Ele estava certo, é claro. Ela tinha sido superada mesmo quando ela estava fresca, quando seus heart-fires tinham rugido com os feitiços de sua fé. No entanto, a postura ainda vinha com facilidade, músculos treinados por incontáveis ​​formas de oração matinal. Sua mente pode saber que ela foi espancada, mas seu corpo não.

“Você está sem magias.” O troll grunhiu - o bufo molhado de um javali. “Sua deusa abandonou você. Mas morra como você gosta.” Ele encolheu os ombros e estendeu a mão para ela.

Foi quando ela sentiu: o calor familiar, esperando como um carvão quente em seu peito. Ela respirou, deixando as brasas queimarem, e afundou no calor como o abraço que era. Ela levantou seu símbolo sagrado.

Os olhos minúsculos e sujos do troll se arregalaram, e então as chamas o engolfaram, queimando carne verde escura. Ele rugiu, caindo para trás enquanto queimava.

Kyra deixou o símbolo da deusa cair contra seu peito, a dor inundando de volta quando a magia recuou.

Do chão da caverna, o troll carbonizado brilhou com incredulidade agonizante. Seu coaxar estava tão rachado quanto sua carne. “Como?”

“Você estava errado.” Kyra permaneceu sobre ele, olhando para baixo com calma. “O que quer que aconteça, a deusa nunca nos deixa verdadeiramente. Ela vai andar comigo até meu último suspiro.”

Ela ergueu a espada com as duas mãos.

“Ou até o seu ...”

- Gerente de Franquia Mark Moreland