quarta-feira, 31 de março de 2010

Jogos de Tabuleiro: Zumbis Office

Zumbis no escritório - Fuja se puder!!

Este é o tipo do jogo curioso e muito divertido. Tudo começa num dia tranqüilo em um escritório, durante uma festa de aniversário. De repente as coisas mudam. O acúmulo de produtos químicos transforma uma das pessoas em zumbi sedento por carne fresca. Só resta correr.

Agora vale de tudo. Percorrer as salas próximas à procura de materiais de escritório que possam servir de armas, atacar seus próprios colegas, trabalhar cooperativamente... você decide.


A dinâmica é simples. Um jogador começa com um zumbi enquanto os outros permanecem como humanos. O jogador-zumbi terá de tentar transformar todos os outros em zumbis antes da polícia chegar.

E o melhor... não precisam comprar, apenas imprimir o jogo!!! Isso mesmo. Você pode baixar tudo, do tabuleiro aos counters.


Faça o download:

Manual - Aqui estão todas as poucas regras necessárias para jogar.

Peças - o que você vai precisar de peças.

Tabuleiro - o piso do escritório

Guia de tomada de decisão
.
Lançado este ano e criação de Luke Venechuck, ele prova que precisamos apenas de um pouco de criatividade para nos divertir-mos.

Novos animes na tv aberta

Blue Dragon e 3ª temporada de Naruto


Para aqueles que curtem animes mas não têm a disponibilidade de um canal fechado ou em dvd temos uma ótima notícia. O canal de televisão aberto SBT informou que entrará em sua grade de programas matutinos Blue Dragon e a terceira temporada de Naruto, no dia 12 de abril.

Blue Dragon é um anime baseado de 51 episódios do mesmo desenhista de Dragon Ball - Akira Toryama. A história começa quando um vilarejo onde mora o protagonista Shu é atacado por inimigos desconhecidos. Ele e seus amigos recebem os poderes da sombra permitindo que transformem suas sombras em um poderoso monstro. Já Shu recebe o Dragão Azul.

Naruto dispensa comentários. O sucesso estrondoso já o transformou em ícone do universo de animes atuais.

Agora é esperar que o SBT cumpra com o prometido - coisa que quase nunca acontece - e realmente inicie a transmissão deles.

Classes de Prestígio - Série Moreania

CLASSES DE PRESTÍGIO de MOREANIA


Paladino de Bullton

(Dragon Slayer 06 – página 49)

Esses guerreiros sagrados formam a milícia protetora do Velho Mundo e outros reinos. São paladinos que cavalgam búfalos, em vez de cavalos.

Apenas os melhores alunos da academia militar de Bullton podem se tornar membros desta ordem. Por suas atitudes violentas e rudes, os Paladinos de Bullton são muitas vezes confundidos com bárbaros, tomados por ignorantes ou selvagens. Mas sua infâmia é exagerada: esses guerreiros santos são intimidadores, com certeza, mas têm o coração dourado dos paladinos. Eles gargalham dos “fidalgos reluzentes” de Brando, acusando-os de fracos e esnobes.

Embora estejam sediados em Bullton, os Paladinos-Búfalos podem ser encontrados em todo o reino, patrulhando fronteiras, respondendo a pedidos de ajuda, ou mesmo integrando grupos de aventureiros.

A ordem é relutante em admitir membros que não tenham traços de búfalo: quase todos os testes de admissão são baseados na força física (que os herdeiros do búfalo possuem acima da média). Uma vez aceitos, os novo paladinos são treinados em montaria e combate sobre os búfalos-de-guerra criados em Bullton.

Pré-requisitos:
Bônus Base de Ataque: +5
Herança: Búfalo
Talentos: Ataque poderoso.
Perícias: Cavalgar 4 graduações, Sobrevivência 2 graduações.
Tendência: NB, NN ou NC.
Especial: Ter passado pelo treinamento na academia de Bullton.

Perícias de Classe:
Blefar (Car), Cavalgar (Des), Concentração (Sab), Intimidar (Car), Observar (Sab), Ouvir (Sab), Saltar (For), Sentir Motivação (Sab), Sobrevivência (Sab).

Dados de Vida: d12

Pontos de Perícia por nível: 2 + modificador de Inteligência.

Características de classe: Todas as características a seguir pertencem à esta classe.

Usar armas e armaduras: Um Paladino de Bullton sabe usar todas as armas simples e comuns, todos os tipos de armaduras e escudos. Note que as penalidades por usar uma armadura mais pesada do que um corselete de couro são aplicadas ás seguintes perícias: Equilíbrio, Escalar, Arte da fuga, Esconder-se, Saltar, Furtividade, Punga e Acrobacia.


Especial:
Herança rival: No primeiro nível o Paladino de Bullton escolhe um tipo de herança Moreu dentre as doze existentes. Devido ao seu treinamento baseado na fisiologia e modo de ser desta herança, o Paladino de Bullton conhece particularidades que lhe dão vantagem quando em combate contra detentores desta herança. Você recebe um bônus de +1 em testes de Blefar, Ouvir e Sentir Motivação realizados contra esses seres. Você ainda recebe um bônus de +1 em jogadas de ataque contra eles.

Faro do Búfalo: embora fosse não seja um ranger, você desenvolveu a capacidade de rastrear dentro do território de Lancaster graças à sua proximidade de sua raiz animal. Os Paladinos de Bullton recebem um bônus de +3 em testes de Sobrevivência dentro do território de Lancaster. A CD depende da superfície e das condições gerais conforme indicado: CD 5 para solo muito macio; CD 10 para solo macio; CD 15 para solo firme; e CD 20 para solo rígido. Para modificadores de CD ver Livro do Jogador D&D 3.5, página 99.

Força do Búfalo: Seu empenho nos treinamentos físico lhe dá um ótimo preparo refletido, sobretudo, em sua força. A herança do Búfalo que carrega em suas veias torna-se cada vez mais evidente. Você recebe um bônus permanente de Força +1 no segundo nível. No sétimo nível você recebe um bônus permanente de Força de +1 (cumulativo ao bônus recebido no segundo nível).

Dois em um: O Paladino de Bullton e sua montaria atuam, em combate, como se fossem um só. Uma vez por rodada, quando a montaria do Paladino de Bullton for alvo de um ataque de um adversário, montado ou não, você poderá aplicar a CA do paladino para escapar do ataque. A montaria do paladino, que deve ser necessariamente um búfalo, compartilha da mesma CA do paladino uma vez por rodada, desde que esteja montada pelo Paladino.

Elo Especial: O Paladino compartilha de um elo especial com sua montaria. Ele consegue ver perfeitamente através dos olhos de seu búfalo. Ele necessita realizar um teste de Concentração contra uma CD baseada na distância em que se encontra de seu animal: CD 5 para distâncias menores que 10 metros; CD 10 para distâncias entre 11 metros e 100 metros; CD 15 para distâncias entre 101 metros e 500 metros; CD 20 para distâncias maiores de 501 metros. O Paladino consegue simplesmente ter o mesmo campo de visão de seu animal, não recebendo informações sobre distância ou localização.

Rival de Sangue: No sexto nível o Paladino de Bullton mostra-se aprimorado no conhecimento de seres da herança escolhida em Herança Rival. Seu longo treinamento nas artes da sua classe, sempre mirando em uma herança específica, resulta num aprimoramento. Você recebe um bônus de +2 em testes de Ouvir e Sentir Motivação realizados contra esses seres. Você ainda recebe um bônus de +2 em jogadas de ataque contra eles e um bônus de +2 em dano infringidos contra eles (este bônus de dano não é aplicado em armas de ataque à distância).

União Destruidora: O Paladino de Bullton e sua montaria atuam ofensivamente como se fossem um só. Uma vez por rodada, o Paladino de Bullton pode realizar dois ataques – um para ele e outro para sua montaria. Este ataque duplo só é possível quando o Paladino estiver montando sua montaria. O ataque do paladino pode ter como alvo tanto o adversário como a montaria dele. Já o ataque de seu búfalo terá como alvo sempre a montaria do adversário (à menos que o adversário esteja à pé, neste caso o alvo poderá ser o adversário do Paladino). O búfalo assume o BBA do Paladino de Bullton, causando dano por contusão.

Deus Búfalo da Guerra: O Paladino atinge o auge de seu treinamento. Como uma benção de seus ancestrais você pode empunhar armas de duas mãos com apenas uma, e pode empunha-los uma em cada mão, sem nenhuma penalidade. Você pode, ainda, realizar dois ataques por rodada num mesmo alvo.

Zumbis em Porto Alegre 7

Zumbis em Porto Alegre

Anotação 7
Hoje fecha uma semana que comecei a escrever essas memórias. Também faz sete dias que não precisamos colocar a cara para fora de nosso esconderijo. Mas isso vai acabar mudando. Estamos ficando sem algumas coisas e teremos de nos aventurar em seguida. Mas isso é uma outra história, para outro dia.

Voltando às minhas recordações.

Depois daquele confronto inicial com os zumbis, o primeiro de muitos que viriam, verificamos tudo para ver se estávamos realmente seguros. Nossa posição era um tanto tranqüila. O terreno onde estava o prédio era pequeno, mas cercado por um alto muro de concreto e grades. Os terrenos ao redor eram relativamente seguros também. À direita e nos fundos divisávamos com um condomínio muito grande e que ainda tinha um bom número de moradores. Eram pelo menos cinco prédios com muitos apartamentos e eles estavam providenciando sua segurança também. À nossa esquerda havia outro edifício, este completamente abandonado por seus moradores. Podíamos ficar sossegados por enquanto.

Enquanto verificávamos tudo fiquei sabendo do Paulo e do Raul por que eles foram obrigados a voltar. Eles contaram que logo que chegaram na altura da avenida Aparício Borges encontraram um pequeno bloqueio do exército em franco combate contra os monstros, muitos monstros. A situação estava muito ruim ali. Eles tentaram fazer um desvio indo pela zona do presídio. Mas as coisas estavam ainda pior por lá. As pequenas ruas daquela zona estavam quase que totalmente bloqueadas por carros abandonados ou destruídos. Depois de combaterem um grupo de zumbis que quase os apanhou se viram obrigados à voltar. No caminho pegaram tudo o que viesse a ser útil. Trouxeram algumas armas que haviam sido perdidas por soldados mortos; mantimentos que haviam sido deixados para trás; e algumas outras coisas.

Lhes contei minha aventura na ida e na vinda até minha casa. Ao final tínhamos certeza que todos estávamos vivos por puro acaso.

A tarde já estava chegando e a claridade ia diminuindo. Depois de acomodarmos tudo no lugar cada um foi para seu canto. Eu e a Juliana fomos para o apartamento dela, no quarto andar. Seu Artur e Dona Silvia tinham um apartamento no térreo. Os irmãos Jonas e Michel preferiram ficar sozinhos, no apartamento da família no segundo andar, na esperança dos pais conseguirem voltar. Paulo e Raul arrombaram um apartamento vazio no terceiro e montaram acampamento por ali mesmo.

Havia sido um dia desgastante e tínhamos de relaxar o que desse. Todos estávamos com as dispensas cheias, ainda tínhamos água encanada e luz. Estávamos completamente desorganizados, é verdade. Tudo era muito novo para todos. A experiência de passar por aquilo estava nos ensinando à passos lentos. Com toda a certeza os erros que cometeríamos nos dias e semanas seguintes seriam nossos verdadeiros professores. Em nossas cabeças nossas prioridades seriam alimento e esconderijo. Tendo isso, no momento, estávamos mais tranqüilos.

Cada um se alimentou como preferiu. Eu e a Juliana tentamos comer o mínimo possível para não desperdiçar. Sabíamos que gás seriam algo muito complicado para repor. Então optamos por usar o microondas enquanto ainda tínhamos energia elétrica.

Havia se passado um pouco mais de uma hora desde que cada um se recolheu em um apartamento quando a noite caiu definitivamente. Os postes foram se acendendo como se nada estivesse acontecendo no mundo. Víamos pela janela do quarto andar que muitas casas, perto ou longe, tinham suas luzes acesas e movimento. Havia muita gente escondida ainda. Ainda escutávamos, também, sons de motores de carros ao longe e muitos tiros e explosões que não conseguíamos distinguir de onde viriam. Mas pelo menos demonstravam que havia uma resistência. Mas também escutávamos gritos que eram silenciados de repente, o que nos trazia para a realidade.

Mais avançado na noite o Jonas apareceu correndo dizendo que alguns canais estavam passando notícias. Corremos para ver. Nem havíamos pensado em ligar a tv. Dois canais da tv aberta e um da tv fechado passavam informe sobre o que acontecia no Brasil e no Mundo.

Eles passaram um pequeno histórico dos acontecimentos. Disseram que no início da semana os casos começaram a surgir em São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e Brasília. O governo e o exército acharam que poderiam controlar a situação, o que realmente aconteceu até quarta-feira. Mas novos casos surgiram em muitas outras cidades – Porto Alegre foi uma delas. Quinta-feira o controle foi realmente perdido. Até aqui toda a informação estava sendo controlada com braço de ferro pelo poder público. Quando o exército declarou toque de recolher e começou a evacuar certas áreas o pânico foi instalado. Com o pânico os zumbis se proliferaram de forma incalculável. Pouquíssimas cidades e quartéis mais isolados ainda permaneciam intactos. Eles tentavam receber os refugiados como desse.

No mundo as coisas estavam ainda piores. Muitos países estavam incomunicáveis. O caos estava instaurado na Europa e nos Estados Unidos. Do Japão e da China, com suas enormes populações, vinham imagens surreais de multidões de zumbis avançando sobre as cidades como ondas de mortes. Nenhum lugar era seguro mais.

Depois dessas notícias eles tentaram dar algumas informações que poderiam ser úteis para nossa sobrevivência. Primeiro não havia consenso sobre o que eram e como haviam surgido esses zumbis. Uns diziam ser obra de experimentos militares, outros diziam ser resultado da mutação de algum tipo de vírus, e até como um ataque de extraterrestre eles foram acusados. Isso não importava. Eles já estavam aqui.

O noticiário informou que aqueles monstros eram relativamente lentos. Pelo menos em sua maioria. Informações desencontradas diziam que havia uns poucos que eram mais rápidos e ágeis. A transformação dava-se pela mordida do monstro, com a troca de fluidos que podei ser mesmo em um simples ferimento. A transformação dava-se, quando por ferimento, em algumas horas. Em caso de morte, por ataque de um desses monstros, a transformação acontecia em um ou dois minutos. Para mata-los apenas a destruição da caixa craniana mostrava-se eficiente e definitiva.

As notícias deveriam ser dadas à cada duas ou três horas, durante a maior parte do dia e início da noite, começando às oito horas da manhã até as dez horas da noite. Esse foi o último informe do noticiário. Depois disso o canal saiu do ar. Nas rádios o caso era um pouco diferente. A autonomia para funcionar lhes permitia um pouco mais de tempo no ar. E eles mantinham postos e repórteres espalhados por toda a Porto Alegre e por grande parte do estado. Mas as notícias não eram diferentes das que tinham sido ditas pela tv. Muita especulação, poucas certezas e apenas notícias de muita desgraça.

As rádios Gaúcha e Guaíba davam informes bem consistentes sobre Porto Alegre. Segundo eles tudo começou em três focos principais – no centro; na zona do Hospital de Clínicas, no bairro Bom Fim; e na zona sul, no bairro Serraria. Isso na quinta-feira pela manhã. O exército tento criar zonas de contenção isolando essas áreas. Nessa primeira ação muita gente sadia ficou presa e acabou sendo pega pelos zumbis, que só cresciam em quantidade. A zona sul foi fácil de isolar. Mas o centro e o bairro Bom Fim foi impossível. Criaram então, de um lado, um grande bloqueio pelo exército na região das proximidades do aeroporto Salgado Filho e das avenidas Assis Brasil e Baltazar. Do outro lado explodiram a maioria das pontes que passavam por cima do Arroio Dilúvio, arroio que divide Porto Alegre em dois. Mas quando anoiteceu na quinta já haviam pequenos focos espalhados por vários outros bairros. Nesta sexta-feira (hoje, nas minhas memórias) tudo foi piorando.

Aos poucos, durante as notícias, todos foram se reunindo no quarto andar, no nosso apartamento. Não tínhamos muito o que fazer sozinhos e reunidos, pelo menos, nos sentíamos mais vivos. Ninguém estava com muita vontade de dormir e a ansiedade pelas próximas notícias era quase insuportável.

Como não poderia deixar de ser tínhamos pelo menos duas cuias para tomar chimarrão. Era o tipo do costume que tentaríamos levar ao máximo. Esquentamos a água com fios elétricos. Eu já havia alertado todos para a necessidade de economizar o gás.

Ficamos sorvendo o mate sentados na sala num círculo tendo a tv e o rádio ligados à espera que qualquer sinal de vida. Não conseguíamos relaxar. Estávamos num novo mundo. Numa nova realidade. Com o tempo, ali reunidos, começamos a espairecer e relaxar. As notícias vieram mais tarde, mas sem novidades. Ficamos tomando chimarrão e beliscando alguns biscoitos até não agüentarmos mais o sono.

Cada um, em seu canto, dormiu e esperou acordar daquele pesadelo.

terça-feira, 30 de março de 2010

Cinema: Lanterna Verde, X-men First Class e Atividade Paranormal

Notícias fresquinhas

Lanterna Verde: mais uma atriz confirmada no elenco da adaptação. É Ângela Bassett (“Prova de Fogo – Uma História de Vida”). Ela interpretará Amanda Waller, personagem que no universo DC chefiou o Esquadrão Suicida. A atriz quase atuou em outra produção sobre heróis, ela estava cotada para interpretar Tempestade no primeiro filme dos X-men. A produção já começou suas filmagens em Nova Orleans sob a tutela do diretor Martin Campbell. A estréia está prevista para 17 de junho de 2011.

X-men, First Class: Bryan Singer (“X-men”, “X-men 2”, “Operação Valquíria”) não será mais o diretor da adaptação dos mutantes. Mas ele não está definitivamente fora da película. Ele saiu da direção, mas assumiu um posto na produção. A saída do diretor é somente uma questão de agenda, já que a produção foi antecipada.

Atividade Paranormal 2: escolhido o diretor para a seqüência do sucesso do terror de 2009. Ele será Tod “Kip” Willians (“Provocação”). Segundo o produtor Oren Peli: “Williams se juntou a nós para o próximo capítulo da história. Nós estamos muito contentes em ter Kip trabalhando conosco. Ele é o cara que nós queremos na direção porque ele sabe exatamente o que nós queremos entregar aos fãs… e eu mal posso esperar para ter em mãos uma parte do que ele está fazendo. Eu não quero estragar a história, mas eu prometo que vai surpreender”. As filmagens devem iniciar em maio para uma estréia em 22 de outubro deste ano.

Arquivo de Fichas - D20 - Série Moreania

Fichas D20 - Série Moreania

Andei dando uma olhada nas revistas DS mais antigas e resolvi criar algumas fichas baseado nos artigos da revista. E como a Jambô pretende lançar em breve o suplemento dedicado à Moreania nada melhor do que trazer material para nossos ávidos mestres e jogadores.

Monge [Hiena]

Humano Monge 6 [Herança da Hiena] – CB.
DVs d8 - PVs 40.
Inic +3.
Desloc 6m.
CA +14 (10 + 3 Des + 1).
Agarrar +5, Toque +13, Surpresa +11.
BBA +4
Ataques +5 corpo-a-corpo [Bordão - dano 1d4/1d4 (p) e 1d6/1d6 (m), decisivo x2]; +7 [distância].
Fort +6, Refl +8, Vont +9.
For 12 (+1), Des 16 (+3), Con 12 (+1), Int 17 (+3), Sab 18 (+4), Car 14 (+2).
Perícias: Acrobacia (Des) +9; Arte da Fuga (Des) +5; Concentração (Con) +4; Conhecimento [Arcano] (Int) +2; Conhecimento [Religião] (Int) +4; Equilíbrio (Des) +8; Escalar (For) +5; Esconder-se (Des) +6; Furtividade (Des) +6; Natação (For) +1; Observar (Sab) +5; Ouvir (Sab) +5; Profissão [Escriba] (Sab) +2; Saltar (For) +8; Sentir Motivação (Sab) +6 [* Todas as perícias já com bônus de sinergia].
Talentos: Artes Marciais, Desviar objetos, Apanhar objetos.
Especiais: Rajada de Golpes, Ataque desarmado, Evasão, Mente Tranqüila, Ataque Chi, Queda suave 6m, Pureza corporal, Queda suave 9m.
Equipamento: Bordão [Dano 1d4/1d4 (p) e 1d6/1d6 (m), Decisivo x2]

Talentos [Dragon Slayer 02, página 28]
Artes marciais
Você é treinado em combate desarmado, sendo capaz de causar mais dano com seus golpes.
Pré-requisito: BBA +1.
Benefício: com um ataque desarmado,você causa dano igual a 1d4+modificador de força.
Normal: sem este talento, um personagem desarmado causa somente 1d3 pontos de dano.

Desviar objetos
Você pode desviar flechas, virotes de bestas, lanças e outros objetos arremessados ou lançados contra você.
Pré-requisitos: Des 13+, Artes marciais.
Benefício: o personagem deve ter, pelo menos, uma mão livre (sem estar segurando nada) para usar este talento. Uma vez por rodada, quando normalmente seria atingido por uma arma de ataque à distância, você pode rebater este ataque e não sofrer seu dano. O personagem precisa estar ciente do ataque e não pode estar surpreso. Tentar desviar um ataque de uma arma de ataque à distância não conta como uma ação. Armas incomuns ou muito grandes (setas de balestras, pedras arremessadas por gigantes...) e projéteis criados por magia (como Mísseis Mágicos) não podem ser desviados.

Apanhar objetos
Você pode agarrar flechas, virotes de bestas, lanças e outros objetos arremessados ou lançados contra você.
Pré-requisito: Des +15, Artes marciais, Desviar objetos.Benefício: ao usar o talento Desviar objetos, você pode apanhar a arma em vez de apenas rebate-la. Armas de arremesso podem ser atiradas de volta ao oponente (mesmo que não seja sua vez de atacar) ou guardadas para uso posterior. Você precisa ter pelo menos uma mão livre (sem estar segurando nada) para usar este talento.

O ABC de Wolverine

Wolverine também é cultura!


O grande desenhista Sean Gordon Murphy teve um rompante de criatividade e colocou os pincéis para trabalhar. Ele está criando todo o alfabeto baseado em desenhos do Wolverine (e personagens que tem relação com ele - Elektra, Colossus, Justiceiro, Homem-Aranha 2099, Motoqueiro Fantasma, Tempestade, Gambit, Deadpool, Thor, Jubileu, Homem de Ferro, Hulk, Punho de Ferro, Homem-Aranha, Namor, Maverick, Dentes de Sabre, Jean Grey, Ciclope, Viúva Negra, Capitão América e Mariko Yashida). No momento ele está na letra U, quase no final de seu projeto. Cada desenho de Logan acompanha a linha da letra.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Método fácil para reconhecer Zumbis

Como reconhecer um zumbi

Mais uma das pérolas da Desciclopédia. Divirta-se!

- Não importa se é a sua vovózinha querida que todos os domingos lhe fazia doces para você comer enquanto chovia, se ela está morta, e ainda não deitou, ATIRA NA CABEÇA!!!

- Ela não é mais sua mãe (pense como se ela virasse sua sogra) ESPANCA COM O TACO DE BETS !!!

- Não tem dente, É zumbi...

- Tá mal vestido.. não pare para pensar se é pobre ou brega... É ZUMBI!!!

- O cara que ficou trancado no escritório, virou a noite fazendo hora extra, não é um maluco acabadão, É ZUMBI!!!

- Seu amigo que conseguiu um emprego nas Coorporações Guarda-Chuva... Será um ZUMBI.

- É feio, É zumbi.

- É lerdo e retardado, É zumbi.

- Tá meio anemico? É zumbi.

- Fala coisas como :"GROOOOOOOOOWN"? É zumbi

O método mais eficaz quando você encontra um zumbi, SAI CORRENDO! Se ele apresentou tudo da lista acima, não importa se ele é pobre, ou zumbi, CORRE! Não fique para saber!


Onde viver numa infestação de Zumbis?

Para viver em um local que tem zumbis, sua casa tem que ser assim:

- Não ter janelas!
- Não ter mais de uma única porta!
- A única porta tem que ser aquela supermaster blindada!
- Tenha várias camadas dessa porta supermaster blindada!
- Tenha um estoque gigante para mantimentos não-perecíveis!
- Não tenha gatos nem cachorros, por que se eles fogem, você vai atrás deles, e quem vai ser mordido pelo zumbi? Sim, VOCÊ meu caro amigo!

Cinema: Poster oficial de Homem de Ferro 2

Está chegando o dia

O lançamento será no dia 7 de maio e será a primeira grande prévia para "Os Vingadores", em 2012. Vamos aguardar. Enquanto isso vamos curtindo o poster.


domingo, 28 de março de 2010

Material de Apoio - Lâminas 35

Material de Apoio – Lâminas
- Adagas e Punhais 01 –


Vamos fazer uma pausa no segmento sobre espadas, até mesmo porque a grande maioria e as mais significativas espadas ocidentais já foram apresentadas. Vamos pincelar agora um outro tipo de lâmina – as adagas e os punhais.

Para esclarecer os desavisados, adagas, punhais e facas são coisas diferentes. Uma faca é qualquer instrumento cortante composto por cabo e uma lâmina curta. As adagas e punhais seriam facas mais longas. A adaga, mais longa ainda que o punhal, possui normalmente fio nas duas beiradas da lâmina.

Historicamente podemos afirmar que desde a época que os homens começaram a criar instrumentos para defesa ou uso, no sei dia a dia, as facas foram dos primeiros a surgir. Inicialmente era simplesmente um pedaço de pedra lascado, e depois polido, sem cabo. Sua ação era muito mais pelo impacto com a parte mais aguda dela do que por uma superfície afiada.

Com o advento do metal elas foram das primeiras manufaturas feitas, juntamente com as pontas de lanças. Por toda a era dos metais elas foram evoluindo recebendo tamanhos que variavam entre 10 cm de lâmina à quase trinta cm. No início não possuíam um cabo diferenciado da lâmina, sendo ele uma extensão de metal.

Por toda a Antiguidade, passando pelo Medievo e chegando aos nossos dias, as adagas e punhais mudaram muito pouco no que diz respeito à sua forma. As lâminas variaram um pouco na largura e comprimento, ou até mesmo recebiam uma forma um pouco diferente para sua lâmina, mas nada que alterasse sua funcionalidade. As maiores modificações ocorreram com relação aos cabos (ou empunhaduras) demonstrando um grande interesse estético neles.

Quanto ao uso as coisas aconteceram de forma diferente. Sempre presente nos afazeres da população como um todo as adagas e punhais faziam parte do dia a dia do ser humano tanto nos trabalhos cotidianos quanto para sua defesa. Mas sempre de forma secundária. Nas lutas corpo a corpo por toda a Antiguidade elas sempre foram um aparato que complementava o lutador, mas não como ponto principal. O elemento central era a força física onde a pequena lâmina estava presente apenas como mais um elemento. No início da Idade Média as coisas não eram diferentes. Com suas espadas pesadas e longas, as adagas serviam mais como utensílio do que como armamento.

Mas neste ponto as coisas começaram a mudar um pouco. A pessoa comum da cidade ou o camponês desprotegido do interior precisavam de algo que lhes desse segurança. Poucos tinham condição de um treinamento descente na arte do manejo da espada. E quase nenhuma proteção oficial era dada na maior parte das localidades – fora os castelos e grandes cidades a proteção era pífia. Por esses motivos pequenas técnicas de combate com as adagas e punhais foram sendo criadas.

Com o transcorrer da Idade Média e com a criação de verdadeiros manuais de manuseio de espadas, aliado a diminuição de seu peso delas e o aumento equivalente de sua velocidade, as adagas e punhais começaram a receber mais atenção. Elas já haviam ocupado vagarosamente um lugar na cintura dos espadachins e soldados conforme o peso das pesadas ia diminuindo servindo como apoio à defesa do soldado. Com o surgimento e grande desenvolvimento das rapiers as adagas e punhais receberam definitivamente a atenção merecida.

Igualmente receberam manuais aprimorando seu uso e técnica de combate – armado ou desarmado – passando de acessório para equipamento principal e independente.

Esse caminho seguido pelas adagas e punhais seguiu esta linha principalmente pelo ocidente europeu. No extremo oriente – os atuais Japão, China e Índia, e até mesmo no Oriente Próximo em locais como a Pérsia ou nas infindáveis tribos de beduínos - sua importância já havia sido reconhecido quase mil anos antes. Técnicas que aliavam os complexos movimentos de luta corporal com a utilização desses instrumentos já eram passados de geração para geração criando um enorme contingente de treinados guerreiros.

sábado, 27 de março de 2010

Cinema: Trailers em lançamentos

Fúria de Titãs - Trailers

Ná próxima sexta-feria terá lançamento um filme que estou ansioso para assistir. Fúria de Titãs trará para a tela a épica aventura de Perseu enfrentando a fúria dos deuses. As cenas de prometem um ótimo divertimento para todos os amantes da temática de fantasia. Selecionei três trailers para aguçar a os fãs! Aproveitem..

Cinema: vídeos de Fúria de Titãs e outras novidades

Um pouco de tudo


Piratas do Caribe: a atriz Penélope Cruz foi confirmada no elenco do quarto filme da série pelo produtor Jerry Buckheimer. Ele ainda deu mais algumas informações sobre o filme: “Ela será a filha do Barba Negra, do cara mal. Sua personagem vai trazer muito humor. E ela é tão arrojada”. Além disso ele informou que o personagem de Johnny Depp, o capitão Jack Sparrow, terá um romance com ela. O elenco já tem um bom grupo escolhido. Além de Penélope Cruz teremos Ian McShane e Geoffrey Rush. O filme, com o título de “Piratas do Caribe: On Stranger Tides”, terá direção de Rob Marshall (“Chicago”) e estréia em maio de 2011.

Transformers 3: muitas novidades foram divulgadas pelo diretor Michael Bay. Ele divulgou a contratação de três atores de peso: Francês McDormand (“Queime Depois de Ler”), John Malkovich (“A Troca”) e Ken Jeong (“Se Beber, Não Case”). Houve também a confirmação da volta do ator Josh Duhamel, juntando-se aos protagonistas dos dois primeiros filmes – Shia LaBeouf e Magna Fox. As filmagens estão marcadas para iniciar em maio em muitas locações diferentes – Los Angeles, Chicago, Washington, Flórida, Texas, África, Moscou e China. Além disso, ele deu mais uma informação interessante. Um novo Autobot será incluso no filme e seu modelo de carro será uma clássica Ferrari 485. A estréia será em 1 de julho de 2011.

Fúria de Titãs: quatro tv spots foram lançados para dar um impulso final ao lançamento mundial que terá estréia na sexta-feira 2 de abril. Nesses quatro vídeos você pode conferir algumas seqüências de ação. Aproveitem.

1 - http://www.traileraddict.com/trailer/clash-of-the-titans/tv-spot-kraken

2 - http://www.traileraddict.com/trailer/clash-of-the-titans/tv-spot-ninth

3 - http://www.traileraddict.com/trailer/clash-of-the-titans/tv-spot-beginning

4 - http://www.traileraddict.com/trailer/clash-of-the-titans/tv-spot-battle

Buck Rogers: a adaptação do celebre quadrinho dos anos 20 (1928) tem seu diretor selecionado. Será Paul W. S. Anderson (“Resident Evil” e “Aliens vs Predador”). O roteiro será de Art Marcum e Matt Holloway (dupla de “Homem de Ferro”). A produção será preparada para 3d. O personagem foi uma verdadeira febre até os anos 50, passando desde tirinhas de jornal, quadrinhos e radionovelas, chegando ao cinema pela primeira vez em 1933.

Mapa: O Castelo do Dragão

Você quer enfrentar o Dragão?

Mais um mapa para as campanhas de todos vocês. Ele é muito amplo possuindo oito andares, 112 salas para os jogadores investigarem e muitas escadas. O mapa é cheio de detalhes e com toda certeza vai atrair a atenção dos mestres. Tudo isso em apenas 2Mb. Ninguém vai se arrempender. Faça o donwload AQUI!


Anime: Quanto custa um Gundam

O real preço de um Gundam


Como viram estou na minha fase Gundam. Trouxe hoje um artigo curiosos que encontrei num blog de fãs da série. Quanto realmente custaria para ser construído um Gundam, com seus dezoito metros e quase oitenta toneladas.

Isso foi discutido pela Japan Science and Technology Agency (Agência de Tecnologia e Ciência do Japão) que disponibilizou um estudo sobre o custo da produção de um Gundam. O calculo se baseia num robô de 18 metros e com 44 toneladas. Prestem atenção nos valores, que não incluem a mão-de-obra nem da infraestrutura necessária. Veja a lista abaixo:

- Liga de Alumínio + processamento: 44000 unidades (319.000.000,00)
- Computador central: 1 (1.550.000,00)
- Motores à jato: 7 (364.000.000,00)
- Motores supercondutores: 30 (7.800.000,00)
- Central de motores: 30 (7.800.000,00)
- Redutores: 30 (22.800.000,00)
- Sensores: (910.000300)
- Cockpit: (450.000,00)
TOTAL: 724.310.000,00

Um Gundam sairia pela bagatela de 725 milhões de dólares. A impossibilidade de criar tal robô nos dias de hoje passam tanto pela falta de tecnologia, quanto pelo valor exorbitante. Para termos uma idéia, esse custo é mais que o dobro do necessário para a construção de boing 747, ou o equivalente à construção de mais de 100 tanques militares.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Jambô lança Criatura Selvagem

Vamos ser o monstro?

"O mal triunfa no Passo do Dente de Troll. O necromante Zharradan Marr está prestes a roubar os segredos da magia élfica que irão torná-lo invencível. Nada poderá evitar que suas legiões dominem toda Allansia.Mas por que você iria se importar com isso? Nesta aventura, você é a criatura selvagem, uma fera monstruosa governada por sua fome e fúria. Se sobreviver, poderá controlar sua natureza bestial e descobrir seu verdadeiro propósito. Mas o sucesso não é certo, pois os horrores do Passo do Dente de Troll são muitos..."

A Jambô deu um grande passo quando resolveu editar os famosos livros-jogos que tanto encantaram os rpgístas da década de noventa. Foi um ajogada de mestre. A cada dia novos jogadores surgem e eles são perfeitos para uma adequada introdução ao universo de tanto nos agrada e encanta.

Eles trazem elementos básicos do RPG deixando o jogador à vontade para dar seus primeiros passos. Mas outro elementos muito interessante nesses livros é a crioatividade que com certeza será apresentado ao novo (ou velho) jogador.

Neste lançamento da Jambô - Criatura Selvagem - nós somos convidados à encarnar uma daquelas atrocidades que tanto adoramos destruir. Suas 320 páginas noso colocarão na pele de um monstro em toda a sua realidade complicada - dentro de um jogo de RPG. O valoré de R$ 26,90, mas vale cada centavo. Para os curiosos é só dar uma olhada numa página do livro AQUI!

Curso de Heráldica 9

CURSO DE HERÁLDICA

Partições do escudo III

Depois das partições principais vamos avançar às subpartições. O que seriam elas? As subpartições ocorrem quando existem partições (divisões) dentro do espaço de uma partição. De forma técnica seria melhor explicado quando dito que subpartições são quando existe combinação entre partições. Vamos à elas.

O esquartelado é a combinação do ‘partido’ com o ‘cortado’. Está é a subpartição mais freqüente da heráldica. Como podemos ver o esquartelado produz quatro áreas iguais, cada uma delas chamada de ‘quartel’. Para uma descrição começamos sempre pelo quartel superior direito do escudo.


Como se pode verificar, no esquartelado, usa-se dois esmaltes de forma alternada. Um deles ocupará os quartéis 1 e 3, enquanto o outro ocupará os quartéis 2 e 4.

Assim a descrição apresentará dois esmaltes dessa forma: esquertelado em cor tal, esquartelado em cor tal. No exemplo abaixo seria: esquartelado em ouro, esquartelado em vermelho. Como as cores se repetem não necessitamos descrever todos os quartéis, apenas os dois primeiros.


O contra-esquartelado seria quando temos um escudo esquartelado e algum de seus quartéis também é esquartelado. Parece meio complicado, mas visualmente tudo fica mais simples. Veja a figura abaixo.

Olhando bem o escudo acima fica muito mais fácil de entender. O primeiro e o terceiro quartel estão esquartelados. Esses quartéis contra-esquartelados possuem, ou não, os mesmos esmaltes dos quartéis do esquartelamento.

A descrição dos contra-esquartelamentos segue a mesma regra do esquartelamento já apresentado. Assim, segundo o exemplo apresentado, ficaria: esquartelado, o primeiro e o quarto contra-esquartelado – os primeiro e quarto de ouro, os segundo e terceiro de vermelho; os segundo e terceiro de verde.

Cinema : Conan e Predadores

Elenco de Conan e o trailer de Predadores

Conan: ainda não está confirmado, mas há grande chance de Rose McGowan (“O Espião”) fazer parte do elenco do filme sobre o cimério invocado. Seu papel seria de uma vilã, uma bruxa. Se isso for confirmado, ela se juntará com alguns nomes já confirmados: Jason Momoa (“Atlantis”) como Conan; Rachel Nichols (“Star Trek“), Stephen Lang (“AvataI”), Bob Sapp (“Golpe Baixo”), Leo Howard (“A Pedra Mágica”), Ron Perlman (“Hellboy”), e Said Taghmaoui (“O Caçador de Pipas”). A direção será de Marcus Nispel (“Sexta-feira 13”, a nova versão). As gravações começaram esta semana na Bulgária e terá estréia no ano que vem.

Predadores: foi disponibilizado o trailer do remake da produção dos anos oitenta. O enredo é completamente novo. Na primeira produção um grupo de soldados, liderados por Arnold Schwarzenegger, encontra com um desses alienígenas caçadores. Nesta nova produção temos um novo enredo. Oito perigosos assassinos terrestres são levados para o planeta dos Predadores para serem caçados. Com direção de Nimród Antal (“Temos Vagas”) e produção de Robert Rodriguez (“Sin City”), o filme trás um elenco um pouco diferente dos músculos do primeiro filme. Nesta produção temos nomes como Laurence Fishburne (“Matrix”), Adrian Brody (“O Pianista”), Topher Grace (“Homem-Aranha 3”) e Alice Braga (“Ensaios Sobre a Cegueira”). A estréia será em 23 de Julho. Assista o trailer AQUI!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Cinema: grande divulgação de Eclipse

Eclipse por todo o lado!


Nestes últimos dias muita coisa tem surgido sobre o terceiro filme da franquia dos vampiros de Crepúsculo. A equipe de divulgação mundial do filme não está dormindo em serviço. Com a estréia se aproximando – 30 de junho – eles não querem perder tempo. Eles não podem descuidar mesmo. A série Crepúsculo é uma mina de ouro. No primeiro filme arrecadaram quase 400 milhões de dólares, e no segundo filme totalizaram mais de 700 milhões.

As novidades começam com o cartaz da produção. Nada de especial, mas pelo menos é algo de novo para os fãs. Nele estão os três protagonista da série de uma forma bem simples. Posteriormente devem ser lançados pôsteres temáticos.


Além disso a equipe de divulgação disponibilizou dois vídeos para dar um gostinho aos fãs. No primeiro deles há uma cena inteira do filme. Já no segundo são sete minutos sobre os bastidores. Aproveitem.

Vídeo 1: cena inteira.

Vídeo 2: bastidores.

Trailer

Jogos de Tabuleiro: mais zumbis

Vamos caçar uns zumbis?


Mortos-vivos e mais mortos-vivos. Esse tema não morre nunca (desculpem o trocadilho infame)!!! Mas zumbis e mortos vivos ainda vão nos trazer muita diversão. Attack of the Dead é mais um desses títulos. Pelo que parece 2010 terá uma ótima safra.


Neste jogo você e seus companheiros são um bando desorganizado de caçadores de zumbis. Vocês terão de ajudar os sobreviventes na inglória batalha contra essas atrocidades. Vocês terão de percorrer os pontos específicos da cidade visitando as casas seguras e mantendo-os protegidos. Para há um belo mapa panorâmico da cidade.

Ele é um jogo cooperativo e vocês terão de correr contra o relógio (e contra a fome crescente) para manterem-se vivos e salvar à todos. Ele é preparado para até cinco jogadores, sendo o ideal quatro ou cinco, em noventa minutos de jogo (em média).


O jogo possui uma série de counters e cards para demonstrar suas habilidades e ações. São 108 cards divididas entre cards de comando e cards de sobrevivência. Já os counters, mais de 176, servem para mostrar vocês, os sobreviventes e os monstros (além de uma série de outras informações).

Cinema: Escolhido o Capitão América

Ele será o Capitão América


Depois de muitos testes e um punhado de especulações eis que foi informado quem será o ator que assumirá um dos papéis mais esperados pelos fãs da Marvel – o Capitão América. O felizardo será Chris Evans. Até dias atrás o papel estava entre Evans, Channing Tatum (“G.I Joe: A Origem de Cobra”) e Sebastian Stan (“O Pacto”).

Evans, com seus 28 anos, já participou de outra adaptação da Marvel. Ele foi o Tocha Humana nos dois filmes sobre o Quarteto Fantástico. Além disso, ele já trabalhou em “The Losers”, “Heróis”, “Reis da Rua”, “Sunshine – Alerta Solar”, “Diário de uma babá” e “Celular”.


O mais curioso da escolha de Evans,é que dos três ele foi o único que realizou um teste apenas de leitura, sem as câmeras, diferente dos outros dois. Agora, neste papel, ele participará de pelo menos três filmes sobre o Capitão América e outros três filmes sobre os Vingadores. As filmagens começam já no meio do ano para lançamento previsto para 22 de julho do ano que vem. A direção será de Joe Jonhston (“O Lobisomen” e “Jurassic Park 3”) e o roteiro ficou ao cargo da dupla Christopher Markus e Stephen McFeely.

Mapas: uma ótima torre

Explore esta torre

Aqui está mais um mapa que pode ser inserido em qualquer aventura. Esta torre é bem básica, mas já está pronta e isso sempre é uma facilidade para o mestre. Ela tem cinco andares e cerca de doze salas amplas. Ótima para estar abarrotada de inimigos com algo bem valisoso lá no topo. O arquivo tem cerca de 2Mb, mas é bem detalhada. Aproveite. Faça o donwload AQUI!



Cinema: adaptação de mangá

Bleach no cinema


Uma ótima notícia para os fãs de mangas e animes. O hiperfamoso Bleach receberá uma adaptação para o cinema pelas mãos da Warner. A produção estará nas mãos de Peter Segal e Michael Ewing (os dois produziram “Agente 86”). Pelo que parece a Warner vai se especializar em adaptações de animes, pois eles estão produzindo também a adaptação também de Akira.

Para quem não conhece Bleach mostra a vida de Ichigo Kurosaki, que aos 15 anos descobre que possuí habilidade de ver fantasmas. Ao conhecer Rukia, da Sociedade das Almas, ele descobre que sua vocação é proteger os vivos e os mortos do mal (retirado de Cinema com Rapadura).


Ultimamente estou na minha fase anime e mangá, mas fazer o que se as notícias estão explodindo por aí!

terça-feira, 23 de março de 2010

Animes: recorde em blue-ray

Gundam Unicorn bate recordes em venda


O primeiro volume do anime Gundam Unicorn, lançado no dia 12 de março no Japão, vendeu nada menos do que 56000 cópias em Blue-ray disc, na primeira semana de venda. Com isso ele passou a ser o anime mais bem vendido em blue-ray, ultrapassando o antigo recordista, Summer Wars, que tinha cerca de 54000 cópias. Além disso ele atingiu a marca de segundo título mais vendido em Blue-ray em todo o Japão, perdendo apenas para “This is it”, de Michael Jackson.
Fonte: La Ventana de Saori

Zumbis em Porto Alegre 6

Zumbis em Porto Alegre

Anotações 6
Conforme eu vou escrevendo também vou me lembrando melhor das coisas que aconteceram. Já faz seis dias que comecei a escrever essas ‘memórias’, se é que dá para chamarmos assim. Graças à Deus que nesses dias tudo tem andado calmo. Tanto aqui dentro quanto lá fora. Parece até que o frio deu uma acalmada naqueles monstros. Mas vamos voltar ao que interessa.

Quando vi que o caminho que eu havia traçado para voltar estava obstruído tive de pensar rápido. Com aquelas coisas vindo por detrás eu não podia perder muito tempo. De uma leve freada no carro. O suficiente para quase parar.

Eu tinha duas opções. Fazer um retorno e pegar a avenida Ipiranga pela contramão. Mas esse caminho era muito mais longo, além de que quando eu e meus dois amigos viemos para cá, da primeira vez, já havia percebido um grande número de carros abandonados. Não poderia me arriscar a ficar preso ali.

A outra opção seria seguir em frente por mais uma quadra e entrar na avenida Bento Gonçalves á direita e seguir direto até o Carrefour, contornado-o. Era muito mais rápido, embora eu desconfiasse que ali teria muito mais zumbis para enfrentar. E eu não tinha idéia se realmente eu conseguiria.

Tive uma fração de segundo para pensar enquanto via pelo menos uma dúzia de zumbis estraçalhando o infeliz dono do carro que obstruía a rua.

Passei reto e decidi pelo caminho mais rápido. Avancei direto para a avenida Bento. Era uma quadra curta, mas conforme eu fui me aproximando da esquina percebi algumas daquelas coisas andando de um lado para o outro. E o som do carro logo atraiu sua atenção.

Jogue o carro sobre eles sem dó. Por sorte eram poucos senão teria sido impossível. Virei a direção rapidamente à direita e avancei pelo canteiro central. Alguns carros estavam abandonados e dificultavam o tráfego normal. Haviam alguns poucos veículos circulando por ali ainda. Eles estavam indo em direção à cidade de Viamão na tentativa de fugir daquele inferno. Tive de desviar em cima de dois carros, logo depois que dobrei. Seria irônico morrer num acidente de carro em meio à uma desgraça dessas.

De qualquer forma eu tinha três problemas: os zumbis avançado em qualquer coisa que chamasse sua atenção, e não eram poucos; os desesperados ainda tentando fugir à todo custo vindo na contra mão; e a pilha de carros abandonados.

Para conseguir percorrer aquele percurso tive que ziguezaguear indo de calçada à calçada. Sempre que possível eu atingia algum monstro – não queria perder a viajem. A visão do que a cidade havia se tornado eram inexplicável. Muito sangue e pedaços de pessoas espalhados pelo chão da avenida. Malas e mochilas espalhadas pelo chão. Pequenos incêndios. Pequenos grupos de zumbis estavam aqui e ali debruçados sobre restos daqueles que não conseguiram escapar. Naquele momento ainda não tinha total dimensão nem noção do que estava acontecendo. Ou melhor, a minha noção estava sendo recriada à todo momento. Eu estava vivenciando o fim de tudo o que entendia por mundo.

Cerca de trezentos metros de percurso e nem sei como, nem de onde, um carro surgiu rapidamente, cruzando meu caminho, bem na esquina da escola professor Schneider. Tentei desviar, mas foi inútil. O atingi de frente bem em sua traseira. Seu Corsa sofreu a maior parte do impacto girando umas duas vezes e atingindo um poste. Tão logo atingiu poste e já tinham duas ou três coisas daquelas sobre o carro. O sujeito não se movia e logo foi arrancado de dentro.

A grade frontal de proteção da caminhonete fez um belo trabalho. Embora amassada tinha deixado o carro intacto. Eu havia parado bem no meio da rua, mas ainda estava inteiro. Com a pressa não havia colocado o cinto de segurança e por sorte o impacto contra o volante não fora pior. Um belo galo e um corte foram tudo o que ganhei com aquele acidente. As buzinas dos carros que passavam fugindo por mim, conseguindo ou não escapar dos zumbis, foi que me trouxe à consciência novamente.

Acordei já com um daqueles zumbis quase alcançando minha janela. Apenas tive tempo que ligar o carro e acelerar sem nem olhar para onde eu estava indo. Dali eram apenas mais duas quadras e entrar à direita para contornar o Carrefour. Infelizmente, por causa do corredor de ônibus, de um lado, e das árvores na calçada, de outro, o espaço era reduzido para dirigir e manobrar. Mas, por sorte, não tive muito problema dali em diante para chegar ao edifício.

Logo que dobrei a rua e vi a Juliana empuleirada no muro à minha espera. Conforme fui chegando perto eles abriram o portão eletrônico para entrar com a caminhonete. Atravessei o portão e estacionei bem no fundo. Desci do carro e logo fui contando à ela e ao Jonas sobre como tinha sido a ida e vinda e do horror que eu encontrei pelo caminho. Os outros poucos moradores que não haviam fugido estavam saindo para ver como eu estava quando o Michel grito:

“- Estamos com problemas!” – ele disse apontando para o portão.

Ele ainda estava aberto. Ao lado, o Michel, de controle remoto na mão, apertava os botões e o portão fazia alguns sons, mas não saia do lugar. Todos ficamos mudos. Eu estava mais apavorado com ele aberto do que surpreso. Isso Já havia acontecido uma ou duas vezes desde que instalaram aquela porcaria. Ele precisava ser forçado para baixar e tudo estaria normal.

Corri para lá gritando para o Jonas puxar de um lado que eu puxaria de outro. O Michel só gritava para que fossemos rápido, pois aquelas coisas estavam sendo atraídas para cá. Ainda agradeço por elas serem relativamente lentas. Eu e o Jonas nos penduramos no portão de ferro, mas ele não cedeu, de início. Depois começou a descer lentamente. Mas estava sendo devagar demais.

Os zumbis estavam chegando em pequenos grupos, inicialmente, e muito mais numerosos, um pouco mais atrás.

Desci do portão e gritei para o Michel se pendurar no meu lugar. Puxei minha pistola e coloquei minhas aulas de tiro em prática. Atirei uma vez, depois outra, mas isso apenas atrasava os seus passos. Eles continuavam de pé, como se não estivessem sentindo o impacto das balas. Um dos moradores, Seu Artur, veio correndo segurando uma barra de ferro e gritando – “na cabeça eles disseram na tevê! Só assim para matar essas coisas”.

Comecei a disparar de novo. No segundo disparo eu atingi o alvo bem onde queria. O zumbi simplesmente parou e caiu, como se tivesse sido desligado da tomada. Ao meu lado Artur girava a barra de ferro tentando atingir um outro, até que conseguiu espatifar seu crânio, literalmente desligando-o. Era ótimo termos a sensação de que não éramos tão indefesos.

Mas isso não iria adiantar muito se o portão não fechasse de uma vez. Eram muitos zumbis e pouquíssima munição. E matar todos com a barra de ferro estava fora de cogitação. Enquanto isso o portão ia descendo, ainda devagar.

Continuei disparando, mas apenas quando extremamente necessário. A maior leva de zumbis estava quase nos alcançando quando o portão estava quase fechado. Gritei para o Artur passar de uma vez por debaixo que eu iria logo atrás. Ele passou quase se arrastando.

Só faltava eu. Mas quando me abaixei e comecei a passar um dos zumbis se jogou e pegou a bainha da minha calça. Fiquei desesperado. Não imagina que eles fossem tão fortes. Eu não conseguia continuar passando por debaixo do portão e não consegui me desvencilhar do monstro. Também não conseguia disparar minha pistola. Os outros monstros estavam à poucos metros e eu simplesmente não sabia o que fazer.

De repente um som cortou aquele desespero. Um disparo. Mas não um som seco e curto, como o que a minha pistola fazia. Era mais alto e comprimo. Junto ao disparo veio o som de pneus cantando. Até os zumbis viraram suas cabeças para ver o que era, com a atenção chamada pelo barulho.

Um carro em alta velocidade, atropelando um mar de monstros e batendo em todo os carros que via pela frente, avançava naquela direção. Quando chegou bem perto da frente do edifício ele travou na exata medida de passar por cima do monstro que tentava me pegar, destroçando-o do peito para baixo.

“- Estava com saudades?” – disse uma voz familiar.

Eram Paulo e Raul, um na direção e outro sentado na janela e segurando a espingarda. O carro, aquele que eu havia dado à eles, estava muito amassado em vários pontos. Nem sei como estava andando ainda.

O Raul, mirando e disparando a espingarda, gritava para que eu passasse logo. Ele acertava os mais próximos enquanto Paulo ia tirando várias coisas de dentro do carro e jogando por baixo do portão.

Nessa altura eu já tinha voltado para fora e ajudava ora o Raul, atirando em algumas daquelas coisas, ora o Paulo, retirando as coisas do carro. Acabamos aquela manobra quase no momento em que o maior número daquelas coisas finalmente nos alcançava.

Num pulo me arrastei pelo vão do portão, depois o Paulo e, por fim, o Raul. No que passamos todos juntos puxamos o portão e o fechamos finalmente.

As coisas já haviam sido colocadas todas no saguão de entrada pelos outros que já estavam do lado de dentro. Só nos restava esconder-nos para nos recuperamos.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Anime: Gundam em tamanho real

Que tal um Gundam real?


Os japoneses são realmente fanáticos por aquilo que curtem. Por isso não é de admirar esta notícia. Uma réplica de um Gundam RX-78-2 em tamanho real (e com um sabre de luz) foi construido e colocado em frente à estaão de trens Higashi-Shizouka. Isto não é novidade. A mesma iniciativa já havia ocorrido ano passado em Odaiba. Este ano ele ficará em esposição do dia 24 de julho até janeiro de 2011 (ano passado foi de apenas um mês e meio). A exposição foi batizada com o nome "Gunpla Real Grade 1/1 Scale Gundam RX-78-2".

domingo, 21 de março de 2010

Arquivo de Fichas - D20

Thog - Ordem do Graveto

Barbarian 10, Fighter 2
Medium Humanoid (Half-Orc)
Hit Dice: 10d12+2d10+36 (117 hp)
Initiative: +5 (+1 Dex, +4 Improved Initiative)
Speed: 40 ft. (8 squares)
Armor Class: 11 (+1 Dex), touch 11, flat-footed 10
Base Att/Grapple: +12/+17
Attack: Door +13 melee (2d4+7)
Full Attack: Door +13/+8/+3 melee (2d4+7)
Space/Reach: 5 ft./5 ft.
Special Abilities: Rage 3/day
Special Qualities: Damage reduction 2/--, darkvision 60 ft., fast movement, illiteracy, improved uncanny dodge, orc blood, trap sense +3
Saves: Fort +13, Ref +4, Will +2
Abilities: Str 21, Dex 12, Con 17, Int 6, Wis 9, Cha 8
Skills: Climb +13, Handle Animal +1, Intimidate +3, Jump +11, Listen +4, Swim +8
Feats: Cleave, Great Cleave, Improved Critical (greataxe), Improved Initiative, Improved Sunder, Power Attack, Weapon Focus (greataxe)
Environment: Material Plane
Organization: Solitary (unique); or party (Linear Guild)
Challenge Rating: 8
Treasure: Leprechaun costume
Alignment: Chaotic Evil

Cinema: e depois da febre Harry Potter

Muitas reviravoltas no cinema depois de Harry Potter
É inegável que a franquia do bruxinho Harry Potter é uma das mais rentosas do cinema em muitos anos. Quem sabe o fenômeno Avatar mude isso, mas Harry é uma realidade. E com a chegada da adaptação do último livro da série, “As Relíquias da Morte”, em duas partes (uma no final deste ano e outra no meio do ano que vem) a Warner começa a procurar alternativas.

O presidente do estúdio, Alan Horn, parece já ter encontrado a resposta. E ela passa pelos heróis. Nestes últimos anos, quando falamos em heróis no cinema, logo nos lembrados dos filmes sobre personagens da Marvel. Nisso não podemos reclamar de estúdios como a Sony e a Paramount que trabalharam com esmero e esforço no sentido de trazer essas adaptações. Enquanto isso a Warner, dando atenção à franquia de Harry Potter, deixou seus projetos de heróis da DC quase que totalmente parados.

Mas isso vai parar. Começando por “Lanterna Verde”, já em andamento, a Warner não perderá tempo para não deixar um vácuo no mercado. Podemos esperar para em seguida também o terceiro filme de Batman, o recomeço da série cinematográfica do Super-homem, um filme sobre Flash. Ainda sem confirmação, mas com grandes chances de se tornarem realidade, temos a possibilidade de filmes sobre a Mulher-Maravilha e sobre a Liga da Justiça.

Arquivo de Fichas - Mutantes e Malfeitores

Disopositivo Landmate
Appleseed ExMachina


Os Landmates são uma espécie de exoesqueleto utilizados em muitos tipos de atividades na Terra do cenário de Appleseed. A maioria das atividades que requerem mais força, ou que proporcionem algum perigo, são realizadas com esses dispostivos – construção civil, carregamento.

Existe variações específicas para o uso da polícia especial de Olimpus. As versões pesadas tem como principais características a resistência e a possibilidade de vôo com grande manobralidade. Os armamentos utilizados são especiais, mas não estão ligados à armadura em especial, sendo à parte. São duas versões principais. A mais pesada (com a ficha abaixo) possui como principal diferencial um par extra de braços independentes.

Normalmente estes braços empunham armamento extremamente pesado de uso exclusivo da armadura ou uma espada energética. Este Landmate é ideal para operações de apoio ou combate direto.


Dispositivo 17 [Landmate – Fácil de perder – Feito: Crítico aprimorado]

Voo 3 [Feito: Manobralidade]; Força ampliada 15; Constituição ampliada 15; Super-força 3 [Força +15]; Salto 2; Proteção 5 [Extra: Impenetrável 3]; Imunidade 29 [Suporte vital, dano físico não letal]; Supersentidos 9 [Visão distante e radial 2; Audição distante; Infravisão, Rádio [freqüência da ESWAT], senso de direção, visão no escuro]; Membros adicionais 2 [dois braços].

Pontos 51

A outra versão de Landmate da polícia é bem mais leve e ágil, mas ao mesmo tempo menos resistente. Ela não possui os membros adicionais, nem a capacidade de vôo. Esta é ideal para operações de campo onde a furtividade e a rapidez sejam essenciais.

Dispositivo 10 [Landmate – Fácil de perder]]

Força ampliada 10; Constituição ampliada 10; Super-força 1 [Força +5]; Salto 2; Proteção 5 [Extra: Impenetrável 2]; Imunidade 9 [Suporte vital]; Supersentidos 9 [Visão distante e radial 2; Audição distante; Infravisão, Rádio [freqüência da ESWAT], senso de direção, visão no escuro].

Pontos 30

Mangá: sensação no Japão ganha prêmio

Ganhador do prêmio Manga Taisho


Um manga inusitado, mas de muito sucesso, foi o escolhido pelo comitê do Prêmio Manga Taisho. O ganhador foi Thermae Romae, de Mari Yamazaki. O manga, publicado mensalmente na revista japonesa Comic Beam, conta a história de um arquiteto da antiga Roma encantado pelas termas romanas. Um belo dia ele desaparece numa dessas termas e, como passe de mágica, surge num banho público japonês. É um dos tantos mangas de comédia que estão no mercado japonês, mas já está arrebatando uma legião de fãs.

O segundo lugar ficou com Uchû Kyôdai, de Chûya Koyama, e o terceiro lugar ficou com Bakuman, de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata. Vamos esperar que nenhum deles custe muito para chegar ao mercado nacional. Por enquanto, estão disponíveis apenas em site que os deixam para donwload.

Cinema: Brian Singer e os Mutantes

Novidades entre Brian Singer
e o universo mutante

O universo mutante está realmente em alta. Em uma entrevista ao L.ª Times, Brian Singer (diretor de X-Men 1 e 2) confessou que tem, não só esperança, mas uma forte convicção de que será produzido X-Men 4.

Outra produção sua que está em andamento também diz respeito ao universo de heróis mutantes da Marvel – X-Men First Class. Sobre essa produção ele comentou na mesma entrevista: “Só mostrar jovens mutantes não é o bastante. A história precisa ter mais do que isso. Eu adoro a relação entre Magneto e Xavier, que possuem pontos de vista opostos mas, no fim, ainda são amigos”.

Para finalizar esta produtiva entrevista ele não quis explicar o tema de sua conversa com o ator Hugh Jackman (“X-Men Origens: Wolverine”). Jackman que além de ser o ator que interpreta o Woverine, também é um dos produtores da franquia, teria pedido à Singer que assumisse o posto de diretor na produção “X-Men Origens: Wolverine 2”.

sábado, 20 de março de 2010

Zumbis em Porto Alegre 5

Zumbis em Porto Alegre

Anotação 5

Não sei se perceberam, mas tudo o que contei até agora aconteceu no espaço de algumas horas. Foram momentos intensos. Vamos continuar.

Depois que decidimos permanecer por um tempo no apartamento da Juliana, pelo menos os primeiros dias, eu só tinha uma coisa para fazer – ir buscar o máximo de coisas que pudesse em minha casa. A decisão de ficar ali foi a mais acertada, embora naquele momento tivesse sido tomada mais no impulso do que de forma raciocinada. Minha casa seria muito fácil de ser invadida numa situação crítica, enquanto o prédio da Juliana contava com um alto muro de concreto que havia sido construído meses atrás depois de um grande assalto. Além disso haviam mais pessoas ali e o ser humano sempre tem a noção de segurança quando em grupo.

O prédio contava com quatro andares tendo dois apartamentos por andar. Nada muito luxuoso: dois quartos, sala, cozinha, banheiro, escritório e sacada. Com todas as moradias ocupadas haviam quase trinta pessoas residindo nele. Mas desde os acontecimentos sinistros e com boa parte da população fugindo, haviam somente quatro apartamentos ocupados. O bom é que todos se conheciam e seria muito melhor conviver assim – até mesmo para a sanidade.

Ainda ficamos um bom tempo observando apavorados aquele corre-corre e aqueles monstros fazendo cada vez mais vítimas. Foi uma visão que ainda tento me esquecer.

“- Tem certeza de que tens de voltar lá?” – ela me pergunto me tirando daquela espécie de transe criado pelo pavor. Só aí me dei conta de que tempo era uma preciosidade de que não dispúnhamos.

Respondi afirmativamente com a cabeça para ela e já comecei a esvaziar a caminhonete. Colocamos tudo no saguão do edifício, junto com as provisões que eu trouxera do Carrefour. Tivemos a ajuda de dois rapazes que moravam com os pais no primeiro andar – Jonas e Michel – adolescentes, mas que estavam sabendo lidar de forma razoável com aquela situação mantendo a calma. Seus pais estavam na praia e o último contato que tiveram era de que estariam voltando naquela manhã. Era um momento de todos se ajudarem.

Com tudo pronto queria sair o mais rápido possível para aproveitar que a confusão havia atraído os zumbis mais para a avenida Bento Gonçalves e para dentro do pátio do hipermercado. Não sabia o quanto eles ficariam longe e não poderia perder tempo.

Confirmei que a Juliana estava com um dos celulares via rádio e combinei com ela que tentaria voltar o mais rápido possível. Não desejava perder mais do que uma hora nessa ida e vinda. Ela insistiu para ir junto, mas o perigo seria grande e nem eu sabia muito bem o que fazer.

Eles abriram o portão de forma rápida e eu saí de ré acertando de leve um carro abandonado próximo. Não havia espaço nem tempo para manobras cuidadosas. Girei a direção e peguei a rua nos fundos do Carrefour, exatamente o mesmo caminho que eu havia feito para chegar até aqui. Ela estava com menos carros abandonados, o que possibilitava ainda uma certa facilidade para circular. Cruzei por dois motoristas desesperados que vinham na direção contrária, mas sem problemas.

Como na vinda, tudo estava estranhamente calmo. Mas era apenas impressão, principalmente depois do que eu passei no Carrefour. Embora as ruas estivessem aparentemente vazias logo na primeira esquina o som do motor chamou a atenção de um daqueles monstros que saindo não sei de onde se jogou sobro o capo como se pudesse me pegar pelo para-brisa. Com o susto quase joguei o carro contra um muro. Tentei travar bruscamente para derruba-lo, mas ele estava muito bem agarrado ao capô. Seu corpo tapava quase toda a minha visão. Eu acabaria batendo o carro se não tomasse alguma providência. Com o pouco de visão que ainda tinha fiz a curva no final da rua na maior velocidade possível. E deu certo. O monstro saiu derrapando pela rua de paralelepípedos e acertando um poste em cheio, fazendo seu corpo espatifar em dois ou três pedaços.

Acelerei ainda mais, agora que conseguia ver a frente, e cheguei em dois minutos à minha casa. Aquela era uma rua calma e de pouco fluxo. Era uma zona muito boa. As casas, todas grandes e de dois pisos, ocupavam amplos terrenos fechando-os de ponta a ponta. Isso, pelo menos, protegia os fundos. As frentes eram protegidas por grades que davam uma falsa noção de proteção. Ali, um pouco mais afastado do Carrefour, que antes estava sem nenhum daqueles monstros, essas coisas surgiam agora de todo o lugar indo de um lado para o outro.

Quando me aproximei da casa já fui acionando o dispositivo para abrir o portão. Entrei de uma só vez e fechando o portão rapidamente. A rua não estava mais deserta. Pessoas se aventuravam tentando fugir à pé ou de carro. Cada um era um alvo em potencial para aquelas coisas. Escutavam-se gritos, tiros e explosões. Uns perto, outros longe.

Saí do portão e corri para dentro. Deixei o porta-malas aberto para facilitar. É estranho como elegemos prioridades completamente desnecessárias quando em situações desesperadoras. Entrei na casa com uma lista feita mentalmente. Eu me lembro hoje e ainda me pergunto como eu pude achar que tantos livros seriam necessários. Bom, pelo menos para a fogueira foram...

Tudo o que eu pega tentava colocar no carro de forma que coubesse o máximo, mas o tempo era curto. Além dos desnecessários livros peguei tudo o que tinha de comida, roupas, pilhas e baterias. Desta vez não esqueci minhas duas pistolas. Eu não conhecia quase nada de armas. Depois de um assalto que quase me custou a vida o Raul insistiu em que eu comprasse a aprendesse a usar. Hoje agradeço à ele por isso. Não tinha muita munição, mas seria o suficiente para o início. Peguei alguns medicamentos básicos que eu tinha em casa, como todo mundo. Quando estava passando pelo escritório vi o rádio do meu avô, jogado num canto. Não sei explicar, mas resolvi o levar por instinto. Foi a melhor coisa que fiz. Por causa dele é que temos alguma esperança hoje.

Peguei também algum equipamento de camping que tinha. Quando dava eu e a Juliana gostávamos de acampar. Eu imaginava que seria uma possibilidade, senão uma necessidade, fugirmos para o interior ou para algum lugar mais escondido. Quando vi o porta-malas da caminhonete estava repleto. Não haviam se passado mais do que vinte minutos. Era perfeito.

Dei uma olhada para a rua. Pelo menos naquele momento as coisas haviam se acalmado. Conforme as pessoas tentavam fugir aquelas coisas iam insistentemente em sua direção até que alguma outra coisa chamasse sua atenção. Alguma coisa deve ter chamado a atenção daquelas coisas para algum lugar. Eu tinha de aproveitar. Entrei no carro e quando ia dar a partida, depois de ter fechado muito bem todas as entradas da casa, ouvi um som familiar, mas que me pareceu estranho.

Um miado.

Eu tinha um gato e nem me lembrava do infeliz. Ele estava parado na janela me olhando. Eu devo ter entrado na casa, passado por ele várias vezes, e nem ter notado sua presença. A consciência me fez pular do carro como um louco. Não ia deixar o bichano lá, sozinho. Entrei correndo e passei a mão nele e na sua caixa de transporte que sempre deixava perto da porta.

Corri de novo para o carro e arranjei um lugar para ele no banco do passageiro. Quando ia dar a partida novamente me lembrei - “a merda da ração de gato”. Ele não poderia ficar às minguas. Pulei novamente praguejando em silêncio e, depois de abrir novamente a porta da frente, corri para a cozinha onde deixava o saco da ração dela. Por sorte havia comprado um saco nem sei de quantos quilos para durar por um bom tempo.

De volta ao carro estava pronto para partir. Na minha cabeça ainda achava graça de toda aquela correria por causa de um gato numa situação como aquelas. Mas acho que isso é que nos torna diferentes daqueles monstros.

Abri o portão que lentamente foi se elevando. Eram segundos que levavam uma eternidade. Acelerei o carro para fora e travei para verificar se o portão se fecharia sem problemas. Conforme ele foi fechando, eu olhei pelo retrovisor e dessa vez as coisas haviam mudado muito. Cerca de uns cem metros atrás de mim haviam pelo menos uns vinte ou trinta daquelas coisas. O som do motor atraiu sua atenção como abelha e mel. Eles começaram à se mover para minha direção. Deixei o carro engatado e no que o portão tocou o chão disparei na direção oposta à eles.

O caminho seria o mesmo. Dobrar à direita contornando a praça, andar cinco quadras, direita, esquerda, mais duas quadras passando por trás do Carrefour e pronto. Estava tudo na minha cabeça sendo repassado insistentemente. Mas já havia passado o tempo em que tudo funcionava como planejávamos. Eu sabia que mais sedo ou mais tarde isso iria acontecer. Quando eu me aproximei da esquina, para dobrar à direita, notei um carro parado com as portas escancaradas e um grupo de zumbis sobre ele. Seus passageiros já deviam estar mortos ou coisa pior. O importante era que o carro estava bloqueando minha passagem.

Eu teria de achar outro caminho.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Curso de Heráldica

CURSO DE HERÁLDICA

Partições do escudo II


O último artigo foi um tanto pesado,no que diz respeito à quantidade de informações. Heráldica não é, sem dúvida alguma, um tema simples, muito menos simplista.

Continuando com o tema das partições do escudo temos agora um tipo especial de terciado. Ele se chama ‘Terciado em Mantel’. Esta partição seria o resultado de uma partição partida junto com a partição talhada. Como já foi dito anteriormente, as partições apresentam sempre esmaltes diferentes nos três espaços, como visto no exemplo abaixo.



A descrição utilizada para este tipo de partição é simples e segue a mesma lógica apresentada na postagem anterior. Começa-se a descrição pelo esmalte mais acima e mais à direita do escudo (lembram da posição dos flancos do escudo que se baseia pela posição de quem segura o escudo?). Depois passamos para a o esmalte mais acima e mais à esquerda. Por fim descrevemos o esmalte mais abaixo.


Desta forma, no exemplo acima, temos primeiro o ouro, depois o vermelho e, por último o verde. Como mostrado na gravura acima temos Terciado em mantel, primeiro em ouro, segundo em vermelho e terceiro em verde.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Libertação de Valkaria em RPGQuest - Labirinto 2

Tormenta no RPG Quest
A LIBERTAÇÃO DE VALKARIA

2º LABIRINTO: O Desafio de Ragnar

Cenário
O deus da Morte espelha toda a sua essência neste labirinto. Também como senhor dos globinóides não espera encontrar poucos dessas criaturas cruéis por seus corredores. Percorrendo seus corredores tudo lembra a morte. Suas paredes de pedra grosseira e irregular lembram algo escavado diretamente na terra. E esse aspecto não é o pior do que pode ser encontrado. Alguns corredores parecem revestidos de ossos e restos de algum ser. Possas de sangue podem ser encontradas em todos os cantos do chão, assim como pequenas vertentes escorrendo das paredes. Não existe nenhum tipo de iluminação e mesmo as tochas ou fontes mágicas de luz parecem ter uma resistência da escuridão.


Pontuação
xperiência máxima: 1800 pontos [o grupo deve lutar todas as batalhas até o fim sem fugir do ambiente onde a luta ocorre. Também não devem ter piedade de nenhum dos seus oponente,matando todos].
Experiência mínima: 1000 pontos.


Encontros
Nos túneis o grupo não encontrará nada vivo além dos globinóides que percorrem os túneis. Todo o labirinto é infestado desses seres horrendos e violentos. A cada ambiente novo que o grupo entrar ele se deparará com novos inimigos (mesmo que já tenha percorrido aquele ambiente anteriormente) de uma das quatro raças principais protegidas por Ragnar – Goblins, Hobgoblins, Bugbear e Ogre. Por estarem num ambiente extremamente natural para eles, além de ser regido pelo seu deus, eles são relativamente mais fortes que o normal (veja os dados no final deste pots). Além disso, muitos deles representam classes específicas dentro de sua raça. Jogue dois dados de 6 e veja o resultado abaixo.

Se tirar 2 – 2 Ogres + 1 Bugbear Capitão + 1d6+2 Bugbears
Se tirar 3 – 2d6+2 Bugbears bárbaros, 1 Bugbear Capitão.
Se tirar 4 – 2d6+2 Orcs bárbaros, 1d6+2 Orcs, 1 Goblin clérigo de Ragnar.
Se tirar 5 – 2d6+2 goblins, 2 goblins cléricos de Ragnar.
Se tirar 6 – 1d6 hobgoblins, 1d6 Hobgoblin bárbaro, 1 Orc General.
Se tirar 7 – 1 Ogre, 1d6+2 goblins, 1 goblin clérico de Ragnar.
Se tirar 8 – 3d6 Goblins
Se tirar 9 – Nada
Se tirar 10 – 1d6+3 Bugbears, 2 Bugbears clérigos de Ragnar.
Se tirar 11 – 2d6+2 Hobgoblins bárbaro, 1 Hobgoblin Capitão.
Se tirar 12 – 2 Ogres, 1 Orc General, 2d6 Orcs, 1 Goblin clérico de Ragnar.

Informações do Mapa:

Faça o download do Mapa AQUI!

INÍCIO: Os personagens chegam ao ponto inicial por meio de um teleporte. Nenhuma informação sobre direção ou posição deve ser dada. Em caso do uso da perícia Rastreio o mestre pode dar dicas (ao seu critério) ou apenas indicar tipos de seres próximos ou quantidade aproximada. Os textos que seguem devem ser conhecidos pelo mestre, mas NÃO devem ser lidos para os jogadores. O mestre deve apresentar-lhes uma descrição conforme melhor desejar.


S – Passagens Secretos: No mapa, quando houver a letra “S”, os aventureiros estarão diante de uma passagem secreta. Para essas passagens serem descobertas um jogador deverá ser bem sucedido num teste da perícia Armadilha.


1 – O Covil dos Ogres: Ele é um pequeno grupo de túneis existentes abaixo da estrutura principal do labirinto. Na primeira sala, ampla, os personagens encontrarão várias carcaças de elfos pendurados pelas paredes. Neste conjunto de salas estão escondidos um Orc Mago chamado de Chiisaku e cinco Orcs de sua confiança. O mestre deve escolher antecipadamente em qual das seis salas secundárias estará o grupo de Chiisaku. Nas demais salas faça o teste normal de encontros. Em caso de derrotarem Chiisaku, os aventureiros poderão vasculhar seu corpo e encontrar seus itens e usa-los.


CHIISAKU
Pontos de vida: 50
Movimentação: 9m
Ataque: Cajado “Sangue de Ragnar” x1/Ótimo e Espada Montante x1
Dano: 1d3+2 Defesa/Resistência: 7/ótima
Talentos Concedidos: Aura de Pânico x1 por dia e Tropa de Ragnar x1 por dia.
Talentos Gerais: Insulto Sagaz, Comandante Amado.
Equipamentos: Armadura Média – camisão de cota de malha (Proteção +2), Poção de cura (x3), Anel de Proteção (Proteção +1).
Especial: Cajado “Sangue de Ragnar” pode causar efeito igual à magia “Toque Macabro” uma vez por ataque. Para isso jogue uma moeda, onde no resultado cara haverá o efeito e num resultado coroa não haverá o efeito.
Magia: Chiisaku pode fazer os seguintes feitiços: “Crescimento” x1; “Escudo Arcano”; “Míssil Mágico” x2; “Toque Macabro” 2x.

Orcs da guarda de Chiisaku
Pontos de Vida: 18
Movimentação: 6m
Ataque: Espada longa x1 (normal)
Dano: 1d6+1 Defesa/Resistência: 8/normal
Equipamento: Armadura média (Proteção +2), Poção de Cura x1.

2 – Os Orcs de Graordek: Nesta ampla caverna temos dez Orcs vestindo roupas pretas feitas de couro. Junto à eles, e os liderando, está Graordek, um clérigo de Ragnar. Esta guarda de dez orcs é muito bem treinada, superiores até aos bem treinados globinóides da Aliança Negra. Os personagens serão atacados e caçados no momento que forem vistos pelos Orcs. Durante a batalha Graordek ficará sempre atrás de dois Orcs, mantendo-se protegido.

GRAORDEK
Pontos de vida: 45
Movimentação: 8m
Ataque: Machado “Matador de Elfos” x1/Ótimo
Dano: 1d6 e 1d6+3 contra elfos. Defesa/Resistência: 7/ótima
Talentos Concedidos: Aura de Pânico x1 por dia.
Talentos Gerais: Insulto Sagaz, Comandante Amado.
Equipamentos: Armadura Leve (Proteção +1), Poção de cura (x3), Anel de Proteção (Proteção +2).
Especial: Magia: Chiisaku pode fazer os seguintes feitiços: “Escudo Arcano”; “Míssil Mágico” x3; “Toque Macabro” 3x, “Detectar Magia”, “Cancelar Magia” x3.

Orcs de Graordek (serão 6 com espadas, 2 com machados e 2 com arcos)
Pontos de Vida: 20
Movimentação: 9m
Ataque: Espada longa x1 (bom) ou Machado de Guerra x1 (ótimo) ou Arco (bom)
Dano: 1d6 (espada), 1d6+1 (machado), 1d3+1 (flecha de metal).
Defesa/Resistência: 8/normal
Talentos gerais: Esquiva Sobrenatural, Fúria Bárbara (normal).
Equipamento: Armadura média (Proteção +2)

3 – Armadilhas: Todos os pontos do mapa marcados com o número “3” equivalem à armadilhas. O mestre fica livre para utilizar as armadilhas que preferir.

4 – Rornagar, o Conquistador Esquecido: Esta é a última câmara deste labirinto. Ao contrário do resto da estrutura, esta sala é muito bem iluminada. No lado oposto à porta de entrada está um círculo mágico no chão que será o portal para o próximo labirinto. À frente do círculo está Rornagar com sua forma imponente. Ele partirá para o ataque tão logo os personagens entrem na sala. Ao redor da sala ele terá um grupo de aliados (o mestre deve realizar um teste de encontros).

Após a morte de Rornagar os aventureiros perceberão que há num dos cantos da sala, presa pelos pulsos, uma elfa (a alma de uma elfa, na verdade). O portal só abrirá com o sacrifício desta alma. Se ela for questionada ela nada saberá sobre como abrir o portal. Nas paredes haverão inscrições que informarão aos aventureiros que ela não passa de uma alma atormentada e o sacrifício para essa alma será, na verdade uma benção, e só assim abrirão o portal. Para entender essas inscrições um dos personagens deverá passar num teste da perícia ‘Decifrar’ ou ‘Religião’.

RORNAGAR, o Conquistador Esquecido
Pontos de Vida: 60
Movimentação: 12m
Ataque: Machado “Fúria de Ragnar” x1 (ótimo) Dano: 2d6 (2d6+3 contra elfos)
Defesa/Resistência: 8/ótima
Talentos gerais: Ataque desarmado poderoso, Esquiva sobrenatural, Grito de Guerra.
Magia: Fúria Guerreira.
Equipamento: Armadura pesada (Proteção +3), Poção de cura x2.


Fichas de Criaturas do Labirinto:

Bugbear
Pontos de Vida: 25
Movimentação: 8m
Ataque: Espada longa x1 (ótima)
Dano: 1d6+2
Defesa/Resistência: 8/normal
Especial: Nenhum Equipamento: Armadura leve (Proteção +1)

Bugbear Bárbaro
Pontos de Vida: 20
Movimentação: 9m
Ataque: Clava x1 (bom)
Dano: 1d3+ 2
Defesa/Resistência: 6/fraco
Especial: Nenhum
Especial: Fúria – quando o Bugbear bárbaro estiver com menos da metade de seus pontos de vida ele entrará em estado de fúria. Nesta condição ele poderá realizar dois ataques por turno na mesma direção e contra o mesmo adversário. Em compensação ele perde a condição de defesa.

Bugbear Capitão
Pontos de Vida: 28
Movimentação: 9m
Ataque: Espada montante x1 (bom)
Dano: 1d6+3
Defesa/Resistência: 8/bom
Especial: Nenhum
Magia: Fúria Guerreira.
Equipamento: Armadura média (Proteção +2)

Bugbear Clérigo de Ragnar
Pontos de Vida: 15
Movimentação: 6m
Ataque: Clava x1 (bom)
Dano: 1d3+ 1
Defesa/Resistência: 6/fraco
Talento Concedido: Aura de Pânico, Fúria Guerreira e Tropas de Ragnar, todas em nível 1.

Goblin
Pontos de Vida: 11
Movimentação: 6m
Ataque: Maça estrelada (normal) x1 ou Lança x1 (fraco) ou Espada curta x1 (normal)
Dano: 1d3
Defesa/Resistência: 7/fraco
Especial: Nenhum

Goblin Clérigo de Ragnar
Pontos de Vida: 8
Movimentação: 6m
Ataque: Lança x1 (fraco)
Dano: 1d3
Defesa/Resistência: 7/fraco
Talento Concedido: Aura de Pânico.
Hobgoblin
Pontos de Vida: 20
Movimentação: 9m
Ataque: Espada longa x1 (normal)
Dano: 1d3+2
Defesa/Resistência: 8/normal
Talentos gerais: Luta em formação.
Especial: Nenhum
Equipamento: Armadura leve (Proteção +1)

Hobgoblin Bárbaro
Pontos de Vida: 18
Movimentação: 9m
Ataque: Clava x1 (fraco) ou Espada curta x1 (normal)
Dano: 1d6
Defesa/Resistência: 8/fraco
Especial: Fúria – quando o Hobgoblin bárbaro estiver com menos da metade de seus pontos de vida ele entrará em estado de fúria. Nesta condição ele poderá realizar dois ataques por turno na mesma direção e contra o mesmo adversário. Em compensação ele perde a condição de defesa.

Hobgoblin Capitão
Pontos de Vida: 25
Movimentação: 9m
Ataque: Espada montante x1 (bom)
Dano: 1d6+1
Defesa/Resistência: 8/normal
Talentos Gerais: Comandante Corajoso.
Especial: Nenhum Equipamento: Armadura média (Proteção +2)

Ogre
Pontos de Vida: 30
Movimentação: 6m
Ataque: Clava x1 (fraco) ou Machado x1 (fraco)
Dano: 2d6
Defesa/Resistência: 8/fraco
Talentos Gerais: Palma de Ferro, Ataque Desarmado Poderoso.
Especial: Ele pode realizar um ataque atingindo os três espaços ocupados à sua frente. Se ele realizar essa manobra, acertará qualquer um que esteja nos três espaços frontais diretamente à sua frente (inimigo ou aliado) causando o total de dano +3 dividido pelo número de seres acertados (divididos para baixo).

Orc
Pontos de Vida: 12
Movimentação: 6m
Ataque: Espada curta x1 (normal)
Dano: 1d3+2
Defesa/Resistência: 8/normal
Especial: Nenhum
Equipamento: Armadura leve (Proteção +1)

Orc Bárbaro
Pontos de Vida: 10
Movimentação: 6m
Ataque: Espada curta x1 (fraco) ou Clava x1 (fraco)
Dano: 1d3+1
Defesa/Resistência: 8/fraco
Especial: Fúria – quando o Orc bárbaro estiver com menos da metade de seus pontos de vida ele entrará em estado de fúria. Nesta condição ele poderá realizar dois ataques por turno na mesma direção e contra o mesmo adversário. Em compensação ele perde a condição de defesa.

Orc General
Pontos de Vida: 25
Movimentação: 9m
Ataque: Espada montante x1 (bom)
Dano: 1d6+2
Defesa/Resistência: 10/ótimo
Talentos Gerais: Comandante Amado, Comandante Corajoso.
Especial: Nenhum
Equipamento: Armadura média (Proteção +2)

Observação: Todas as magias dos clérigos de Ragnar, e de outros NPCs, bem como talentos especiais e concedidos, estão descritas na postagem adaptando os Poderes Concedidos, de Tormenta, para RPGQuest.