sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Cinema na Confraria: trailer de Frankenstein


Cinema na Confraria
Trailer de novo Frankenstein

Foi apresentado hoje pela Lakeshore Entertainment o primeiro trailer de “Frankenstein – Entre Anjos e Demônios”. Com a interpretação de Aaron Eckhart. A Hq à qual o filme é baseada já é uma releitura do famoso personagem da literatura. Neste filme ele está nos dias de hoje e enfrenta uma legião de gárgulas. No elenco, além de Aaron, conta também com Yvonne Strahovski e Miranda Otto. A estréia será em 24 de janeiro de 2014.

Zumbis em Porto Alegre - Parte 2 - Anotação 1


Anotação 1
Tudo o que escrevi até agora foi o que nos aconteceu até o dia de hoje. Eram as memórias mais vívidas, ao mesmo tempo que mais assustadoras. Desde a nossa última aventura fora do refúgio, indo até os quartéis, não saímos mais até tão longe. Apenas algumas idas aqui e ali para verificar as caixas d’água que pegavam água da chuva ou para ver o movimento dos zumbis.

Mas já faz algum tempo que temos discutido da possibilidade de sairmos daqui. Procurar algum outro lugar com menos monstros. Com mais possibilidades. Com mais segurança.

As provisões não são nossa preocupação de imediato. Tivemos muita sorte em conseguir comida e outros bens de primeira necessidade por aqui ao redor e no Carrefour. Mas e quando eles acabarem? Devemos ou não esperar até uma situação limite para nos aventurarmos fora daqui? E o nosso contato em Curitiba? Valeria à pena juntar forças com eles? São muitas questões e pouquíssimas certezas.

Essas últimas semanas têm sido de frio e debates. O inverno está mais rigoroso que de costume, ou pelo menos nossa percepção nos engana para isso. Quanto ao debate ao redor da fogueira improvisada nas garagens do prédio não nos trás consenso, muito menos certeza.

Temos que pesar muita coisa. Somos um grupo relativamente grande. Precisaríamos de dois veículos para nós mais um para os mantimentos e provisões. Pode até parecer exagero querer levar tudo conosco, mas sem pensarmos bem nosso lar é o que levarmos conosco. Em um mundo totalmente novo como este não podemos nos dar ao luxo de deixarmos qualquer coisa para trás. E não falo somente de alimentos ou medicamentos, mas qualquer coisa passa a ser rara neste mundo.

Os mapas que pegamos no posto da Brigada Militar quando fomos aos quartéis nos deram boa uma idéia de como a cidade estava perto de seu colapso. Quais ruas haviam sido bloqueadas e quais as tentativas de frear o avanço dos monstros. Segundo os mapas as pontes sobre o arroio Dilúvio, onde ficava a avenida Ipiranga haviam sido quase todos explodidos, dividindo a cidade em duas porções quase intransponíveis. Segundo o mesmo mapa haviam duas pontes ainda intactas em cada extremidade da avenida – no cruzamento da avenida Beira Rio e no cruzamento da avenida Antônio de Carvalho, este último à apenas algumas quadras de nós.

O mapa ainda mostrava a forma como a epidemia foi se desenvolvendo em Porto alegre. Tudo nos servia para juntar informações valiosas. Logo em nossa chegada à Porto Alegre, quando voltávamos de Santa Maria, no início de tudo, vimos que bloqueios estavam tentando manter as os zumbis longe da entrada da freeway, no cruzamento para Cachoeirinha. Isso significava, no mínimo, que a zona norte de Porto Alegre já estava nas mãos dos monstros. A tentativa do Raul e do Paulo de irem para a zona sul e não conseguirem chegar nem na avenida Aparício Borges também nos mostrava que mesmo que a zona sul estivesse em melhores condições, haveria uma barreira de mortos por ali e que as explosões que provocamos nos quartéis deveriam ter atraído ainda mais monstros para aquelas bandas.

Hoje acabamos tocando no assunto de forma mais direta. É uma decisão difícil. Aqui temos, bem ou mal, abrigo seguro tanto dos monstros quanto das intempéries do tempo. Temos muitos recursos e local para conseguir mais por algum tempo. Mas a mesma pergunta vem à nossa mente e em nossas discussões – mas e depois?


Vamos votar daqui a alguns dias. Ainda somos civilizados. A maioria vence.

Pathfinder será lançado no Brasil


Pathfinder no Brasil

O mercado nacional de RPG terá mais um grande título para atrair os jogadores. Foi anunciado alguns dias atrás que a Devir está em processo de tradução de Pathfinder, da Paizo. Eu poderia elencar aqui muitos motivos para celebrar isso, mas vou me fixar em dois apenas.

O primeiro deles é que desde que houve o encerramento do ciclo da licença aberta de D&D 3.5 e o lançamento da 4E, muito jogadores simplesmente estão órfãos aqui no Brasil. Nos Estados Unidos uma grande parcela, desgostosa com o resultado e as modificações existentes na 4E, migraram para Pathfinder transformando-o em um perigosíssimo adversário da Wizard of The Coast. E quando digo uma grande parcela estou querendo dizer uma significativa parcela mesmo. Mas aqui no Brasil isso não pode acontecer de forma natural devido às limitações que grande parte da população tem com a língua inglesa. Muita iniciativas pipocaram aqui e ali com traduções caseiras (e de boa qualidade) da obra, mas sem condições de atingir todos os interessados. Com este lançamento aposto em uma grande corrida às lojas especializadas, tanto pela novidade, quanto pela reconhecida qualidade.


O segundo motivo para celebrar é que o investimento de uma tradução e lançamento desta magnitude não é baixo. Para termos alguém interessado em lançar o Pathfinder por aqui é porque há uma confiança na absorção do nosso mercado para mais este título. Se pensarmos bem temos tido grandes títulos lançados por aqui e o mercado tem habilmente absorvido tudo em um público ávido por novidades.

Ao mesmo tempo alguns temores surgiram nas redes sociais e temos que levar isso em conta. As duas principais preocupações têm sido relacionadas com a qualidade e continuidade dos lançamentos e ao preço. Um dos diferenciais do Pathfinder é sua qualidade gráfica e a variedade de seus suplementos e mantermos o mesmo nível é uma exigência dos fãs. O medo vem de algumas derrapadas que a Devir já deu em outros processos de tradução e lançamentos. Já com relação ao preço, e acho que é uma preocupação muito relevante, sabemos que os valores de lançamentos de obras da Devir podem ficar muito acima do razoável.


No geral ainda continuo achando uma ótima notícia o lançamento de Pathfinder pela Devir. Em breve teremos mais novidades como datas e valores.

Novo suplemento de Old Dragon apresentado

Novo suplemento de Old Dragon

RedBox apresentou a capa de seu novo suplemento para o sistema Old Dragon. Trata-se de “Senhores da Guerra”, um suplemento que levará os grupo de jogadores para a vida de combates da Britânia pós-Roma. Para quem não sabe muito bem do que se trata eu recomendo uma olhadinho no filme Rei Artur (“King Artur” – 2006), apresentando bem o que acho que será o conceito deste suplemento. Vamos esperar novas informações.


Cinema na Confraria: vaza a sinopse de Vingadores 2: Age of Ultron


Cinema na Confraria
Esta é a sinopse de “Vingadores 2:
Age of Ultron”

Alguns pontos do que seria a sinopse da sequência de Vingadores, intitulado “Age of Ultron” teria vazado por um membro de dentro do estúdio e muitos especialistas têm achado muito plausíveis as informações.

“À medida que o governo dos EUA criar uma força, conhecida como Ultron, Os Vingadores são informados de que não são necessários mais. Mas quando Ultron se volta contra a humanidade, é hora de Os Vingadores para montar mais uma vez para o seu desafio mais perigoso que nunca.”

Pode parecer pouco, mas já podemos imaginar muita coisa.... Mas por que isso é plausível? O primeiro elemento é a inexistência de Henry Pinn, o Homem-Formiga, como criador de Ultron, da forma que aparece nos quadrinhos. O próprio Joss Whedon já havia descartado a participação do Homem-Formiga no filme.

Outro ponto que pode corroborar isso está no filme Homem de Ferro 3, quando fica claro o interesse do governo americano de transformar o Patriota (Máquina de Combate) como o herói oficial, descartando tanto o Home de Ferro quanto os Vingadores.

Vamos aguardar as confirmações oficiais, se é que acontecerão.


[FONTE: Collinder]